Bebê de um ano morre vítima de H1N1

Por
· 1 min de leitura
No Rio Grande do Sul, 33 óbitos por Influenza já foram contabilizados desde o início do anoNo Rio Grande do Sul, 33 óbitos por Influenza já foram contabilizados desde o início do ano
No Rio Grande do Sul, 33 óbitos por Influenza já foram contabilizados desde o início do ano
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma bebê de um ano e um mês de idade foi a segunda vítima do vírus H1N1, em Passo Fundo. O óbito, registrado no início de agosto no Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), foi confirmado pelo Boletim Epidemiológico do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, divulgado na quinta-feira (15).

A paciente é a segunda vítima do vírus Influenza na cidade e não havia recebido a segunda dose de imunização contra a gripe. No dia 2 de julho, um homem na faixa etária de 30 anos também veio a óbito, na mesma unidade hospitalar, em decorrência do contágio por H1N1. A criança, segundo a enfermeira coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Passo Fundo, Raquel Carneiro, já apresentava um quadro clínico respiratório asmático. “O vírus está presente ao longo de todo o ano, mas no período de frio os casos notificados aumentam”, sinalizou. “Em 2018, tivemos 249 notificações positivas para o vírus Infuenza. Nesse mesmo período, porém em 2019, dos 182 casos suspeitos, 110 foram no município”, prossegue. De acordo com Raquel, além dos casos de H1N1, um caso de contaminação pelo vírus Influenza H3N2 foi diagnosticado pelos testes laboratoriais.

Mais de 30 mortes no estado

No documento elaborado pela Secretaria Estadual de Saúde, além dos casos subtipados e monitorados de todos os municípios gaúchos de Influenza, a pasta divulgou os números referentes ao estado. Conforme o relatório, no Rio Grande do Sul, foram notificados 2.212 casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) desde o início do ano. Das 1.876 amostras processadas, 13% foi classificadas com o vírus da gripe. “Dentre os casos de Influenza, 72,2% confirmaram para Influenza A(H1N1), 21,6% para Influenza A(H3N2), 2,4% para Influenza B e 3,6% para Influenza A não subtipado”, aponta a tabela.

Segundo o levantamento, número de mortes chegou a 33, em todo território gaúcho, sendo 18 delas pacientes com mais de 60 anos e nove com idade entre 50 e 59 anos. Ainda conforme a Secretaria de Saúde, uma vítima tinha 40 a 49 anos, e outra com faixa etária dos 30 a 39 anos. Esta última, foi a primeira vítima de gripe H1N1 em Passo Fundo neste ano. As demais são crianças na faixa etária com menos de seis meses a 1 ano e 4 meses de idade.

A vacinação contra a gripe, como mencionou Raquel, não está mais disponível na rede pública de saúde, visto que o prazo previsto no calendário de imunização, encerrou-se em junho. “Na rede privada, ainda pode ser que haja doses disponíveis”, considerou.

Gostou? Compartilhe