Região de Passo Fundo segue em “Alerta” e Estado irá convocar reunião com prefeitos

As Ações adotadas até o momento pelas regiões que serão convocadas não são consideradas suficientes

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O Gabinete de Crise acatou hoje (09) a recomendação do GT Saúde e emitiu um novo Alerta para a região Covid de Bagé. Além disso, decidiu manter o Alerta de 13 regiões, inclusive Passo Fundo. O GT também emitiu um Aviso às regiões de Canoas, Guaíba, Lajeado, Novo Hamburgo e Porto Alegre.

As demais regiões em Alerta no estado são Cachoeira do Sul, Caxias do Sul, Cruz Alta, Erechim, Ijuí, Palmeira das Missões, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santo ngelo e Uruguaiana. As 13 regiões mantidas em Alerta também receberam novos relatórios, em função do agravamento da situação nos respectivos municípios. 

O governo do Estado convocará, nos próximos dias, reuniões com os prefeitos das regiões Covid de Passo Fundo, Cachoeira do Sul, Ijuí e Santa Rosa para reforçar a necessidade de medidas adicionais diante da situação crítica da Covid-19 nesses locais. A decisão foi tomada a partir de relatos do GT Saúde e do GT Protocolo. “As ações adotadas até o momento não foram suficientes para frear a circulação do vírus, havendo inclusive agravamento em algumas regiões”, informa o governo estadual. As reuniões serão coordenadas pelos secretários Luiz Carlos Busato (Articulação e Apoio aos Municípios) e Arita Bergmann (Saúde).

Histórico

A região de Passo Fundo está em Alerta desde 18 de maio e sob Ação desde 20 de maio. Nesta semana, o município de Passo Fundo prorrogou a restrição de horário de funcionamento de atividades não-essenciais, que proíbe a abertura dos estabelecimentos das 21h às 6h. 

Dados

O boletim regional do Comitê de Dados, com dados de terça-feira (08), mostra elevação em quase todos os indicadores da região. Os casos aumentaram 8,5% na variação semanal, os óbitos 10,3% e a ocupação de leitos clínicos 20,6%. Os casos confirmados ou suspeitos de Covid-19 em UTIs diminuíram 5,8%, mas a ocupação segue acima de 100%, com 104,2% dos leitos ocupados e -7 leitos disponíveis.

Gostou? Compartilhe