Cai a procura pela vacinação contra a Covid-19 entre os jovens

Adesão de apenas 59% entre jovens em Passo Fundo preocupa especialistas

Por
· 1 min de leitura
Pessoas com mais de 19 anos já foram vacinadas na cidade (Foto: Michel Sanderi/Divulgação PMPF)Pessoas com mais de 19 anos já foram vacinadas na cidade (Foto: Michel Sanderi/Divulgação PMPF)
Pessoas com mais de 19 anos já foram vacinadas na cidade (Foto: Michel Sanderi/Divulgação PMPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

Após altas taxas de adesão entre os idosos e nas faixas etárias seguintes, ultrapassando os 90%, a procura pela vacinação em Passo Fundo começa a apresentar queda entre pessoas com 20 a 34 anos. Até quinta-feira (26), o índice na faixa etária de 20 a 24 anos era de apenas 69%. A baixa procura não é exclusividade de Passo Fundo. Ela acontece em todo o estado e já preocupa especialistas.

 “Os jovens, nós sabemos, se expõem de maneira mais intensa a situações em que se pode contrair o vírus”, destaca o professor Luiz Carlos Kreutz, doutor em Virologia e coordenador do Laboratório de Diagnóstico do Coronavírus/Covid-19. Como exemplo, cita festas, aglomerações, locais de trabalho e o retorno presencial às aulas. “Seria extremamente importante que até que todos recebam a vacina, eles se continuassem mantendo todos os cuidados necessários para evitar a infecção”, ressalta o especialista.

No começo do mês, a secretária municipal de Saúde, Cristine Pilati, já relatava uma maior resistência à vacina pela população adulta mais jovem. “O que parece é que as pessoas idosas temiam mais a doença e, por isso, procuravam mais a vacina. Acima dos 80 anos, a adesão foi de praticamente 98%. Nas faixas etárias mais jovens, abaixo dos 45 anos, a média de primeiras doses está ficando em torno de 85% da população estimada. É um número bom, mas ainda não é o ideal”, disse em entrevista ao ON.

Delta

A vacinação com primeira dose está próxima dos 70% em Passo Fundo. Essa taxa de imunização, quando alcançada com o esquema vacinal completo, poderia ser considerada como imunidade coletiva. No entanto, a variante delta e outras cepas estão mudando as previsões. A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), já alerta que pode ser necessária uma cobertura de 90% para contê-las. Nesse cenário, o professor Luiz Carlos considera a importância de intensificar a vacinação. “Nós teríamos que ter mais vacinas disponíveis e vacinar, vacinar e vacinar. E continuar fazendo campanhas para que as pessoas se mobilizem e se vacinem o quanto antes”, ressalta.


Notícia atualizada em 27/08 às 13h42: Os dados contabilizam a vacinação até a quinta-feira (26), não quarta-feira (25), como informado anteriormente.

Gostou? Compartilhe