OPINIÃO

Teclando

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Tecnologia

A tecnologia tem um avanço infinito. As novidades chegam para permanecer entre nós ou, ainda, serem substituídas pelas novidades do futuro. A tecnologia está no nosso cotidiano. Na entrada do estacionamento do Bella Città há um sistema indicativo das vagas disponíveis. Isso é tecnologia. Mas a grande novidade está no supermercado da Comercial Zaffari do shopping. É um caixa de autoatendimento, o self checkout, onde o próprio cliente faz todas as operações. Testei, achei prático e sem complicações. As novidades estão aí para facilitar a nossa vida. No açougue do mercado encontramos carnes embaladas na origem, por um sistema que aumenta a durabilidade. Isso também é um avanço tecnológico. Por lá ainda encontrei outra novidade. É um sofisticado carrinho elétrico para a limpeza dos corredores, equipamento silencioso e utilizado sem incomodar os clientes. Mais tecnologia. Mas o avanço terminou no domingo, quando os supermercados não abriram. Infelizmente, a tecnologia esbarra no retrocesso.

Barulho

Sou de uma época em que o uso de silenciosos nos escapamentos dos veículos era obrigatório. Descarga aberta era proibida. O máximo tolerado era o sistema de escapamento Kadron, que dava um tom de potência ao motor do Fusca. Aliás, por aqui era chamado de Fuca. Agora, pelo que ouço nas ruas de Passo Fundo, parece que o uso de silenciosos e abafadores não é mais obrigatório. As motos, então, são poderosas usinas de decibéis. Quanto menor a moto, maior o ronco. Mas onde está o porquê dessa barulheira? Ou mudaram a lei ou os escapamentos perderam a eficácia? Ou seria apenas falta de fiscalização?

Música

Como é agradável você entrar num ambiente onde a música não machuca seus ouvidos. Em alguns pontos de Passo Fundo a turma anda caprichando na trilha sonora. Boa música nas lojas, restaurantes, lotéricas e supermercados. Em locais aprazíveis nos sentimos mais à vontade, permanecemos por mais tempo e, claro, consumimos mais. Sabe aquela música que você quase nem percebe? Pois assim é um bom som ambiente. Discreto e sem exageros. Discrição é bom gosto, exagero é apelação. Bom gosto não exige muito, basta não descambar na vulgaridade. Música faz bem à alma.

Pensamento

Eu determino o que é importante para mim. Não os outros. O respeito à individualidade faz parte do coletivo. Fico indignado diante de certas ‘obrigatoriedades’ que tentam invadir o meu livre-arbítrio. Ainda tenho o mais amplo e fortalecido direito de escolha. Ouço apenas o que quero ouvir e leio somente o que quero ler. Abomino as unanimidades efervescentes. Entendo que a nossa individualidade pode, preventivamente, barrar histerias coletivas. Por isso, não embarco nessas ondas que apagam pensamentos. Até porque, como diria Lupicínio, o pensamento parece uma coisa à toa. Parece. Apenas parece!

Trilha sonora

O que deixa uma música agradável? Um bom arranjo. Um grande arranjador foi o maestro Erlon Chaves. Em 1973 gravou com a sua Banda Veneno: Carly & Carole

Use o link 

https://goo.gl/3knwk2

Gostou? Compartilhe