Coleta seletiva amplia em 40% volume de resíduos

Projeto é realizado no bairro Planaltina, sempre às terças-feiras, no turno da manhã, e nas quintas-feiras, no turno da tarde

Por
· 2 min de leitura
Bairro Planaltina foi o primeiro a receber as açõesBairro Planaltina foi o primeiro a receber as ações
Bairro Planaltina foi o primeiro a receber as ações
Você prefere ouvir essa matéria?

A Prefeitura de Passo Fundo, através da Secretaria de Meio Ambiente, desenvolve o projeto piloto Coleta Seletiva Solidária. A iniciativa está sendo realizada em parceria com a Associação de Recicladores Esperança da Vitória (Arevi) e com o projeto TransformAção. A primeira comunidade a receber as ações foi o bairro Planaltina. Após a divulgação da proposta nas residências e a realização de palestras e orientações sobre como fazer a correta separação dos resíduos, a Arevi iniciou a coleta dos resíduos recicláveis em dias diferentes da coleta tradicional. Após a coleta, os resíduos são transportados e armazenados no galpão da cooperativa, onde passam pela triagem e separação. Depois de enfardados, os materiais são vendidos e retornam para o mercado para serem incorporados pelas indústrias. Com início em outubro, após um mês de coleta, os resultados são positivos: o volume de resíduos coletados pela Arevi aumentou em 40%, quando comparado ao mês anterior, e a renda dos cooperados passou de R$ 454,00 para R$ 617,00. Atualmente, a Arevi conta com um galpão no bairro Bom Jesus e tem a participação de seis cooperados.

A participação da comunidade é crescente, mostrando que são favoráveis a permanência do projeto no bairro Planaltina. “A partir da avaliação positiva deste projeto estão sendo planejados ações em outros bairros do município com a atuação de outras cooperativas de reciclagem”, afirmou o secretário de Meio Ambiente, Rubens Astolfi. Ele ainda ressalta que a coleta seletiva dos resíduos e a reciclagem promovem benefícios ambientais, sociais e econômicos. “Para o meio ambiente temos uma diminuição na exploração de recursos naturais e na poluição, além de melhor a limpeza das cidades e possibilitar o reaproveitamento de materiais que iriam para o aterro sanitário. Na esfera econômica, a coleta seletiva diminui os custos da produção com o aproveitamento de recicláveis, gera renda pela comercialização e diminui os gastos com a limpeza. E, por último, na esfera social, cria oportunidade de fortalecer organizações comunitárias, gerando emprego para a população e incentivando o fortalecimento de associações e cooperativas”, finalizou.

A coleta seletiva é uma das metas estipuladas no Plano Municipal de Resíduos Sólidos. Os objetivos do município são aumentar o volume de resíduos reciclados e fortalecer o trabalho das cooperativas, a fim de aumentar a renda dos cooperados e o número de pessoas trabalhando nessas cooperativas. A Coleta Seletiva Solidária no bairro Planaltina acontece nas terças-feiras, no turno da manhã, e nas quintas-feiras, no turno da tarde.

O que pode ser coletado?

Plásticos (garrafas pet, sacolas, embalagens de produtos de higiene e limpeza, brinquedos e utensílios), vidros (garrafas, potes, frascos de alimentos e produtos de higiene/limpeza), papel (jornais, revistas, cadernos, folhas, caixas de papelão e embalagens de sucos/leite) e metal (latas de bebidas, alimentos, panelas sem cabo, talheres, bacias, objetos de cobre/zinco/bronze e ferro. Todo o material pode estar em uma mesma sacola, independente do tipo. Preferencialmente, o material deve estar seco e limpo, com o intuito de facilitar a reciclagem. Já o óleo de cozinha deve estar acondicionado em vasilhas ou garrafas pet com tampa, e pode ser entregues junto com o resíduo reciclável.

 

Gostou? Compartilhe