OPINIÃO

Em 2020 serão muitos mais

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Como no ano passado, apresento aqui a seleção de doze dos livros lidos em 2019. Alguns deles, como Sapiens: História Breve da Humanidade, de Yuval Harari, e Fernão de Magalhães, de Gianluca Barbera, figuram entre os mais vendidos no período.

Por outro lado às obras Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, e Viagem ao Rio Grande do Sul, escritos por Jean-Baptiste Debret, e Auguste de Saint-Hilaire, respectivamente, são praticamente desconhecidos do grande público. A leitura dos livros de Debret e Saint-Hilaire se deu nas semanas que antecederam a aposentadoria, após trinta anos como professor no Colégio Estadual Antônio Scussel.

A eclética seleção, disposta aleatoriamente, inclui quatro livros de contos: do gaúcho Sérgio Faraco, do carioca Ruy Castro, do irlandês Jayme Joyce e do norte-americano J. D. Salinger.

E ainda o ABCdário da Revolução de 1817, presente recebido de uma ex. aluna e leitora voraz.

Que a lista de desejos para o ano que se aproxima seja de amor, saúde, paz, realizações. E é claro de boas e prazerosas leituras.

 

Nove Histórias - J. D. Salinger

O livro de Salinger é um dos mais emblemáticos da literatura norte-americana. E também um dos que levaram a arte do conto ao seu ponto máximo de excelência, Publicado originalmente em 1953, dois anos depois do aclamado romance O apanhador no campo de centeio, o volume reúne narrativas escritas a partir do fim dos anos 1940.

 

 

Sobre o Autoritarismo Brasileiro – Lilia Moritz Schwarcz

A autora examina algumas das raízes do autoritarismo brasileiro, bastante antigas e arraigadas, embora frequentemente mascaradas pela mitologia nacional. Da herança cartorial do colonizador e suas mazelas, a obra perpassa temas como escravidão e racismo, mandonismo, patrimonialismo, e corrupção, entre outras.

 

Sapiens: História Breve da Humanidade, de Yuval Noah Harari

Esta é uma obra desafiadora, desconcertante e inteligente Recorrendo a ideias da paleontologia, antropologia e sociologia, o professor da Universidade Hebraica de Jerusalém analisa os principais saltos evolutivos da humanidade, desde as espécies humanas que coexistiam na Idade da Pedra até às revoluções tecnológicas e políticas do século em curso.

 

Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil – Jean-Baptiste Debret

Ao longo das centenas de gravuras e textos, Debret registra de cenários, personagens e situações do Brasil no início do século XIX. Ele veio com a Missão Artística Francesa, em 1816, e permaneceu no país até 1831, quando regressou à França.

 

Elástico - Como O Pensamento Flexível Pode Mudar Nossas Vidas – Leonar Mlodinow

Neste livro o autor mostra com clareza e bom-humor que todos temos essa habilidade recém-descoberta — um estilo cognitivo, não linear, que nos leva a gerar e incorporar novas ideias. Lançando mão de histórias e exemplos, ele nos introduz ao universo da neurociência e da psicologia de ponta para examinar de que forma o cérebro produz o pensamento flexível.

 

Viagem ao Rio Grande do Sul – Auguste de Sanit-Hilaire

Os diários de viagem de Saint-Hilaire revelam os topônimos, costumes, acidentes geográficos, língua, culturas indígenas e uma grande soma de observações nos anos que antecedem a independência do Brasil O livro apresenta a última viagem que o naturalista fez em território brasileiro.

A arte de querer bem – Ruy Castro

A arte de querer bem é a forma que o autor encontrou para homenagear o que o faz apaixonado pela vida. Ruy Castro reúne neste livro bem mais de uma centena de crônicas em que exercita o amor por sua profissão, por seus amigos, por seus ídolos, por sua cidade, pela música, pela vida.

ABCdário da Revolução Republicana de 1817 - Maria de Betânia Corrêa Araújo.

É um pequeno dicionário de verbetes que busca apontar e esclarecer lugares, personagens e fatos que se tornaram essenciais para a compreensão deste movimento. O livro busca, através de sua seleção de palavras, ser uma forma de provocação que instigue o leitor a construir sua memória a respeito da História da Revolução de 1817.

Rondas de escárnio e loucura - Sérgio Faraco

Faraco é um dos grandes nomes da literatura brasileira. Em Rondas de escárnio e loucura fica evidente seu talento de contista. A amargura combinada com o lirismo, o universo tristemente fascinante dos perdedores, a miséria e a grandeza da condição humana.

 

Dublinenses – James Joyce

Uma das coletâneas de contos mais conhecida da língua inglesa, Dublinenses faz um retrato vívido e inclemente sobre a "boa e velha Dublin" do começo do século XX.

 

Saramago – Biografia – João Marques Lopes

A obra relata episódios da vida de Saramago desde a infância, passando pela publicação do sua primeira romance Terra do Pecado no não de 1947. A biografia escrita por Marques Lopes se estende até o lançamento de O Evangelho Segundo Jesus Cristo, que rende a Saramago o Nobel de Literatura.

 

Fernão de Magalhães – Gianluca Barbera

O ano é 1519. De Sevilha, partem cinco navios que singram os mares sob o comando de Fernão de Magalhães. A viagem durará três anos. Em busca de uma passagem que o leve da América do Sul ao Oriente, Magalhães terá que enfrentar motins, tempestades, frio polar, doenças e confrontos rumo ao seu destino final: as fabulosas Ilhas das Especiarias.

 

Gostou? Compartilhe