OPINIÃO

Teclando

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Achataram a racionalidade

No shopping, deparei-me com vários globos terrestres na vitrine de uma livraria. Parei para observar a Terra em escala reduzida. Um globo é sempre atrativo à curiosidade do nosso olhar e nos acompanha desde o ensino primário. Naquela época, os estudantes eram fotografados ao lado de um globo terrestre para as tradicionais lembrancinhas escolares. Tínhamos um globo em casa que, seguidamente, servia para compreensão visual do fuso horário etc. Mas os atuais, que vi nesta vitrine, são bem mais modernos e têm recursos de iluminação. São lindos, porém foram obsoletizados por empíricas baforadas do embuste. De acordo com aquilo que pregam por aí, agora a Terra seria plana. Sim, achataram o planeta para transformá-lo em pizza politiqueira. Sem recheio e com bordas para contenção da ignorância. Ou seja, a Terra que era uma bola foi transformada, literalmente, numa chatice.

Mas, além dessa, há tantas outras chatices invadindo as cabeças ocas ou com recheio inconsistente. A falsidade ganhou livre-trânsito com o passaporte do americanismo e, sob a chique alcunha de fake news, tem propagação geométrica. Ora, assim vem atropelando a lógica. Isso ocorre sistematicamente. E não é por acaso, pois obviamente tudo foi planejado para insuflar a sempre maleável classe média. Logo despontam pessoas recalcadas, carregadas de ódio que estão ensandecidas de raiva e querem, de qualquer forma, aquilo que imaginam ser uma espécie de vingança. São viúvas ou, como diria o Brizola, “filhotes da ditadura” que não admitem a igualdade democrática. Não há mais diálogo e o debate virou arcaico, enquanto a ciência, os estudos ou as pesquisas foram esbarrados para a linha de fundo. A eficácia da inverdade já colhe os excelentes resultados obtidos. A mentira suplantou a racionalidade e a legalidade. E será dificílimo reverter este imenso retrocesso. Infelizmente.


O pratinho do Iracélio
Acompanhando a logística do Acioly, a temporada propiciou que Iracélio marcasse presença no litoral catarinense. Em cada ida à Itapema o nosso Turcão se esbaldava na praia. A criançada observava com cautela até desvendar o mistério: uma boia gigante ou um cetáceo? Mas fora d’água ele também se esbaldou. E muito! Num almoço, preparado com todos os requintes pela Tânia, ele mandou ver. E ainda contou os detalhes no Oásis. “Tinha massa com anéis de lula, camarão com creme e salmão grelhado. Eu nem sabia como começar. Então enchi um pratão, misturei tudo e mandei bala. Que coisa boa”, conta Iracélio com os olhos ainda brilhando.

Poeira
Obra viária gera poeira. Isso é óbvio. Mas uma água pode amenizar em muito os efeitos nocivos e desagradáveis da poeira. Ora, as sequelas não podem ofuscar a magnitude da obra.

A multiplicação dos eleitores
Não sei exatamente quantos eleitores estão inscritos em Passo Fundo. Mas, de acordo com pretensos candidatos a vereador, já devemos ter ultrapassado marca de 500 mil eleitores. Ou mais. Um deles, que se autodenomina ‘um grande puxador de votos’, diz que fará 12 mil votos. Outros, um pouco menos entusiasmados, têm estimativas que oscilam entre seis e sete mil. Mas alguns são bem mais modestos e garantem que contam com uns três mil eleitores garantidos. Votos infalíveis, segundo eles. Somando as estimativas, logo chegaremos a 1 milhão de eleitores.


Trilha sonora
Em 1981, quando a mentira era apenas uma mentirinha, Erasmo Carlos veio com essa:Pega na Mentira .

 

Gostou? Compartilhe