OPINIÃO

O perfil segundo Jorge, o coach

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Estão pretendendo definir um perfil ideal para o novo prefeito de nossa cidade. Moreno, alto, bonito e sensual...então, descartado estou. Queria ter um perfil de Hitch, o conselheiro amoroso (Will Smith) ou coach de profissões como Bruce Willis em Duas Vidas. Coach é aquele que dá palpites, ensina o caminho das pedras, ensina a ficar famoso, feliz e enriquecer.

Saiu na mídia em 2017 que havia mais de 500 investigações em curso contra os parlamentares das duas câmaras altas. Legal, não é mesmo? O que leva a crer que para ser parlamentar não é necessário ter vida ilibada; aliás, não é preciso saber escrever ou ler e nem ter experiência no ramo. Em outras palavras, ficamos a mercê de quem não necessariamente tem predicados para dirigir os destinos do país. Isso refere-se também ao judiciário (STF), onde o notório saber é ignorado, segundo a manifestação de muitos juristas famosos. Então, já que não é preciso muito estudo porque foi Deus quem criou tudo, vou fornecer de grátis algumas dicas para quem quer ter sucesso e longa carreira na vida política. Aí vai: capacidade anatômica da ginga ou jogo de cintura (bambolê); capacidade de adaptação às novas circunstâncias (fisiologismo), tipo migração despudorada ao mais conveniente, naquele momento; capacidade digestiva de engolir sapos ou sorrir permanentemente ao estilo Dória sem dar a parecer que a dentadura está desajustada; capacidade de, à semelhança das prostitutas, mudar de posição por causa da grana oferecida; capacidade mental de decorar nomes de autoridades ou de esquecer definitivamente algum acontecimento escuso que o envolva no passado e, finalmente, demonstrar desejo incontrolável de comer pastéis em botecos da periferia ou mercados públicos, apertar mãos de pobres e de beijar criancinhas ranhentas das favelas. Com essas dicas é difícil não se perpetuar na vida pública.

Alguns com o perfil descrito dirão que presto um desserviço ao tentar macular a imagem dos homens que se colocam à disposição eleitoral para exercer cargos públicos. Mesmo porque a política não é para amadores, não é uma disposição estanque visto que sem negociação, sem abrir mão de convicções que foram oferecidas em período pré-eleitoral não tem como avançar. Porque democracia é isso e coisital...oremos, oremos.

Então, nós que ficamos fora da festinha, mas que pagamos a mesma, ficamos a perguntar o que seria ideologia política. Eu, por absoluta deficiência intelectual, sem o notório saber das costuras partidárias, estou encasquetado com algumas coligações anunciadas. Cara, como sou burro, pelo menos na política...estou pensando em me lançar, acho que estou pronto.

Gostou? Compartilhe