LiquidaPasso 2020 iguala resultados da edição passada

Campanha fora de época teve impacto nas vendas, avalia presidente da CDL

Por
· 1 min de leitura
Arquivo/ONArquivo/ON
Arquivo/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Chegou ao fim, na última quarta-feira (7), a 24ª edição da LiquidaPasso, campanha que visa incentivar o setor empresarial passo-fundense através do estímulo de consumo e vendas em diversos setores da cidade. A edição de 2020 da ação, realizada de 1 a 7 de outubro, teve resultados similares a de 2019, apesar de ter contado com mais dois dias de evento em comparação às edições anteriores. Ainda em relação ao ano passado, essa LiquidaPasso teve um número maior de lojas participantes, com aproximadamente 600 estabelecimentos.

Em um ano atípico, devido à pandemia do novo coronavírus, evidentemente diversas mudanças ocorreram no evento. Uma delas foi o período do ano de realização da campanha, uma vez que ele normalmente ocorre entre o final de julho e início de agosto. Conforme o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Passo Fundo, Sérgio Giacomini, essa foi uma das razões que dificultaram as vendas de superarem as do ano anterior. “Nesse momento as lojas tinham produtos que poderiam agregar bastante valor às vendas, que eram produtos de inverno, e tinham ofertas, mas com esses dias de calor, ninguém se motiva a comprar roupas de inverno”, indica. Entretanto, mesmo com fatores como estes, Giacomini indica que o setor de confecções teve lojas com crescimentos importantes.

Além da diferente estação em que a campanha ocorreu, outro ponto que causou retração nas vendas da LiquidaPasso 2020 foi a queda na renda familiar das pessoas e o desemprego. E os impactos gerados pela pandemia não se restringem à campanha. Para Sérgio, a influência que estes fatores tiveram no setor empresarial da cidade como um todo foi muito grande. “No segmento de comércio e serviços tivemos um longo período em que as empresas permaneceram fechadas ou podendo atender através de meios eletrônicos, e isso acaba limitando bastante. Tivemos uma queda importante em termos de faturamento nesses segmentos”, afirma.

A atual situação da pandemia

Com a amenização do quadro da pandemia na região de Passo Fundo, o município encontra-se há três semanas consecutivas na bandeira laranja do distanciamento controlado do Estado. Segundo Giacomini, isso está sendo importante para a retomada das atividades do setor empresarial no município. “Tem ajudado bastante. Hoje permite uma condição de quase normalidade em termos de atendimento ao cliente”, finaliza.

Gostou? Compartilhe