CDL divulga expectativas para as vendas de final de ano

As estimativas para as vendas de Natal deste ano é de que devem crescer 3% em relação a 2019

Por
· 1 min de leitura
Projeção é de cenário positivo (Foto: Arquivo/ON)Projeção é de cenário positivo (Foto: Arquivo/ON)
Projeção é de cenário positivo (Foto: Arquivo/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

As vendas deste natal devem ser equivalentes ao ano passado, isto se não houver nenhuma intercorrência, como mais restrições às atividades econômicas. Em um cenário positivo, o índice de crescimento nas vendas não deve ser superior a 3%, comparado com o 2019.

Há três fatores que são dificultadores de um maior aumento nas vendas do Natal. São eles, antecipação e comprometimento de limites com as compras da Black Friday, a redução do auxílio emergencial para R$ 300 e a inflação de alimentos causado pela alta do dólar. Este último porque as exportações elevadas de itens como soja, arroz e carnes reduziram a disponibilidade desses itens no mercado interno, levando à alta de preços. E quando sobe o preço dos alimentos, as famílias têm que sacrificar outros tipos de gastos para preservar o consumo de comida, que é um gasto essencial. Por essa razão, as vendas de eletrodomésticos e de vestuário tendem a ser prejudicadas como consequência da alta dos alimentos.

Mesmo com as restrições financeiras e de mobilidade impostas pela COVID-19, um mapeamento divulgado em novembro deste ano pela Nielsen Global Connect, apontou que as pessoas vão manter suas comemorações, por isso, os varejistas devem se aprofundar na leitura desse cenário, em que se somam o desejo de comemorar e os receios impostos pelo vírus, para criar uma nova experiência de consumo.


Gostou? Compartilhe