Aeroporto poderá abrir para voos visuais diurnos a partir de julho

Equipamentos vindos da Itália já foram instalados e a pista deverá ser homologada nos próximos dias

Por
· 3 min de leitura
PAPI instalado junto à cabeceira 09PAPI instalado junto à cabeceira 09
PAPI instalado junto à cabeceira 09
Você prefere ouvir essa matéria?

 Falta muito pouco para a conclusão das exigências operacionais e a reabertura do Aeroporto Lauro Kortz. Fechado para obras na pista desde 11 de janeiro, o Aeroporto de Passo Fundo teve interdição prorrogada até o próximo dia 30 de junho. Agora, a tendência é pelo retorno das operações a partir de 1ºde julho, inicialmente apenas para voos visuais diurnos. Ainda esta semana haverá uma nova avaliação para decidir pela liberação ou solicitação de uma nova prorrogação do fechamento. Basicamente, a pista está pronta e faltam os serviços conhecidos como embelezamento. “Tem que colocar a grama nas laterais da pista e limpar o pátio antigo”, explicou Clarice Beffart, administradora do Lauro Kortz. É bom lembrar que a conclusão total das obras está prevista para dezembro. Assim, quando retornarem os voos comerciais, as operações permanecerão centralizadas no antigo terminal. A previsão é de que a partir de agosto as empresas aéreas também retomem os voos para Passo Fundo.

PAPIs instalados

As obras até estavam adiantadas, mas o atraso na chegada de um equipamento acabou prejudicando o cronograma inicial. Produzido na Itália, o sistema chegou ao Brasil e já está instalado nas laterais próximas às cabeceiras da pista. É o conjunto do sistema PAPI (Precision Approach Path Indicator), que através de luzes propicia a visualização ao piloto de uma rampa ideal de descida. O equipamento foi produzido pela OCEM Airfield Technology do grupo Aretè & Cocchi Technology, com indústrias na Itália, França, Suíça, EUA e China. O material adquirido para Passo Fundo veio da Itália e, devido à gravidade da pandemia no ano passado, sofreu um atraso pela interrupção nas atividades industriais naquele país. “Agora será feita a calibragem do sistema no solo e depois a aferição com uma aeronave do GEIV (Grupo Especial de Inspeção de Voo)”, informou Clarice.

Equipamento orienta pilotos na aproximação

Aviação geral

A data exata para o reinício das operações ainda é uma incógnita. Mas, por enquanto, o que vale é o Notam (uma notificação dirigida aos aeronavegantes) que mantém a pista interditada até o próximo dia 30 de junho. No entanto, haveria a possibilidade de prorrogar por mais 15 ou 30 dias o fechamento. A decisão será tomada nas próximas horas. Caso optarem pela prorrogação, será necessária a solicitação ao DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo, para emitir um novo Notam. Mas a tendência é pela liberação da pista. “Depois de uma inspeção, poderemos decidir pela liberação à aviação geral. Sem a aferição dos PAPIs, poderá receber voos visuais diurnos”, explicou o diretor do Departamento Aeroportuário do RS (DAP), engenheiro Leandro Taborda. Ou seja, a liberação parcial permitirá apenas as operações VFR e vetará as IFR (por instrumentos). Essa liberação atenderia, dentre outras, as aeronaves que já estavam baseadas no Lauro Kortz. De acordo com a administradora do Aeroporto, os proprietários aguardam ansiosos pela liberação da pista.

Inspeção e homologação

A pista do aeroporto de Passo Fundo tem nova identificação. Agora é a 09/27, seguindo a orientação magnética. A mudança foi causada pela precessão, uma ação induzida pela gravidade do eixo de rotação da Terra. Segundo o diretor do DAP, para a liberação operacional ainda é necessária a inspeção de uma equipe do Cindacta II, de Curitiba, para a homologação da pista junto à ANAC, Agência Nacional de Aviação Civil. Assim, Taborda está otimista em relação à possibilidade da liberação do aeroporto para voos visuais num primeiro momento. “Depois, ainda haverá uma vistoria para aferição dos equipamentos (PAPIs) para a volta dos voos IFR”. Ou seja, tudo indica que teremos a volta das operações em duas etapas.

Obras com recursos
A parte física da pista já está concluída. Os 1.700 metros foram revestidos com cimento asfáltico e polímero, e a base reforçada para o PCN 42. O projeto não contempla o alargamento da pista, que era aguardado com grande expectativa devido ao vento de través predominante. Além de nova pintura, recebeu balizamento (luzes laterais) em LED. Agora as atividades estão focadas no novo terminal de passageiros e o novo pátio de aeronaves. Leandro Taborda destaca que “está tudo dentro do previsto no cronograma inicial”. Também informou que o fluxo das obras e financeiro é normal, pois existe uma verba liberada para a execução das obras. O diretor do DAP está confiante de que os trabalhos estejam concluídos até dezembro, seguindo o prazo estipulado.


Venda de passagens

Em nível nacional, as empresas aéreas estão em fase de retomada das suas malhas operacionais, que sofreram enorme redução com a pandemia. Além disso, sem a pista liberada para operações dos seus jatos, a venda de passagens tendo Passo Fundo como origem ou destino ficou somente para a partir de agosto. Azul e Gol voltarão a operar em Passo Fundo e já disponibilizam a compra de passagens pelos seus sites e aplicativos. A Azul fará o trecho entre Passo Fundo e Viracopos, em Campinas, enquanto a Gol opera na ligação com Guarulhos.


Gostou? Compartilhe