UPF completa 53 anos neste domingo (6)

Em mais de 5 décadas, instituição de ensino já formou cerca de 100 mil profissionais

Por
· 1 min de leitura
Foto: Assessoria de Imprensa UPFFoto: Assessoria de Imprensa UPF
Foto: Assessoria de Imprensa UPF
Você prefere ouvir essa matéria?

Maior instituição de ensino superior do Norte gaúcho, a Universidade de Passo Fundo (UPF) completa 53 anos neste domingo (6).

Com uma nova identidade de ensino denominada Sense UPF, a instituição de ensino promove uma troca de conhecimento entre as diversas áreas, com maior interação prática com a comunidade, segundo a assessoria de imprensa da universidade. "A UPF é uma instituição comunitária, que nasceu pelo desejo das pessoas que aqui residiam e que enxergavam no ensino superior uma nova possibilidade de transformação de suas vidas e do entorno”, lembrou a reitora da UPF, Bernadete Maria Dalmolin.

Cerca de 100 mil profissionais formados

Ao longo destes 53 anos, a UPF foi se desenvolvendo e ampliando a oferta de ensino na graduação e na pós-graduação. Em sua região de abrangência, a contribuição da universidade é especialmente visível pela formação acadêmica de nível superior. Desde sua criação, são mais de 84 mil profissionais formados na graduação; quase 10 mil pós-graduados em nível de especialização e cerca de 2,5 mil diplomados com mestrado e/ou doutorado. “Estas pessoas que viveram a Universidade, não se qualificaram individualmente, apenas, mas alavancaram o desenvolvimento coletivo, econômico, social, cultural, de suas famílias e de seus municípios. Temos egressos atuando nos diferentes estados deste país e também no exterior”, destacou a reitora.

Comunitária

A UPF tem uma importância significativa no desenvolvimento de Passo Fundo e região. “Acreditamos que o desenvolvimento está atrelado à capacidade de colaborar, à troca de conhecimento, ao compartilhamento de objetivos comuns entre as pessoas. Por isso, em sua trajetória, a UPF sempre estabeleceu interfaces com a sociedade, que contribuíram, efetivamente, a cada época e de diferentes formas, para a educação integral, para a melhoria das condições de vida da população e para o desenvolvimento sustentável”, enfatizou Bernadete.

A reitora também citou a mobilização dos acadêmicos, funcionários e professores da Universidade neste período de pandemia de Covid-19 em diversas ações de solidariedade, de combate à crise sanitária e de atendimento às necessidades da população. “Todas as ações são consequências de um projeto de Universidade, que ao mesmo tempo em que a Instituição mantém os pilares enraizados nos valores que historicamente nos sustentam, quer se reinventar e se renovar, frente aos desafios do cotidiano, em um tempo de ressignificação para o ensino superior e em uma sociedade que também se modifica dinamicamente”, salientou.



Gostou? Compartilhe