O menino de 118 anos

Considerada a primeira tira em quadrinhos do mundo, Yellow Kid completou, nesse final de semana, 118 anos.

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Como numa espécie de feitiçaria, as histórias em quadrinhos surgiram da combinação de ingredientes. Um garoto, um pijama, algumas falas. Nascia, em 17 de fevereiro de 1895, a nona arte. Com Yellow Kid os desenhos ganharam a possibilidade de ir além: deixaram de ser riscos para tornarem-se mensagens.

Inserido no contexto de Hogan’s Alley, a pioneira história em quadrinhos - publicada, de forma esporádica, entre 1984 e 1985, na revista Truth - O Menino Amarelo, Yellow Kid, era uma criança estranha que passeava por uma vila que abrigava outras criaturas também estranhas. Dentuço e sempre com um pijama amarelo, distribuía sorrisos e contava sobre a sua “doce vida”. Ganhou a simpatia do público e, aos poucos, conquistou o protagonismo da história. Em menos de um ano, Hogan’s Alley deixou de existir para dar vida a uma nova série de quadrinhos: The Yellow Kid publicada, então, no jornal New York World, aos domingos.

Logo, a vida do menino de pijama estava presente não só nas páginas dominicais como, também, nos outros dias da semana: a política, a economia e a sociedade passaram a ser temas tratados por Yellow Kid. Pelos traços de Richard Felton Outcault a tira era um panorama teatral da sociedade norte-americana, um desenho capaz de retratar um novo mundo urbano transbordando conflitos e tensões.

O pioneirismo de Yellow Kid não está, somente, no fato de ser o primeiro desenho a ganhar destaque nas páginas de jornais. Para a nona arte, o pioneirismo está, também, no uso de legendas e balões: O Menino Amarelo tinha voz própria, a narrativa, usada em primeira pessoa, trouxe o quadrinho para perto do leitor. No início, o próprio pijama servia como apoio: eram escritas na tinta amarela as falas do menino; no fim dos quadros uma pequena narrativa.

De longe, a história d’O Menino amarelo pode parecer sem importância. Só de longe. O menino, que surgiu no final do século XIX, é um marco representativo da imprensa moderna. A tira de Outcault deu origem à uma arte que surgiu lado a lado com a própria imprensa e, especialmente, com as formas de entretenimento de massa. É, ainda, um exemplo marcante de uma tentativa de definição da identidade cultural do ocidente. Através do desenho e do próprio enredo, a sociedade ocidental ria de si mesma e de seus costumes e percebia formas de se afirmar num mundo onde a busca pelo poder caracterizava uma luta não apenas política e econômica, mas, também, cultural. A voz de Yellow Kid tornou-se, vagarosamente, a voz do povo.

Três anos depois de sua primeira tira, Yello Kid deixou de existir. Os quadrinhos, em sua era de ouro, tomavam conta dos jornais e das revistas e o criador d’O Menino Amarelo decidiu que estava na hora de parar. Yellow Kid saía das páginas dos jornais como protagonista e pioneiro, precursor de umcaminho que, há muito, vem sendo explorado e descoberto.

Gostou? Compartilhe