Cálculo do custo da cesta básica de Passo Fundo e região é realizado pela UPF

Atividade, que beneficia a população, é executada pelo Centro de Pesquisa e Extensão há quase 30 anos

Por
· 3 min de leitura
O estudante Vinícius participa de todas as fases do cálculo do valor da cesta básica (Fotos: Leonardo Andreoli)O estudante Vinícius participa de todas as fases do cálculo do valor da cesta básica (Fotos: Leonardo Andreoli)
O estudante Vinícius participa de todas as fases do cálculo do valor da cesta básica (Fotos: Leonardo Andreoli)
Você prefere ouvir essa matéria?

A cesta básica faz parte da vida de muitas pessoas, pois ela contempla diversos alimentos e produtos essenciais para a alimentação, bem como para as atividades do dia a dia. Sabendo da sua importância na comunidade, o Centro de Pesquisa e Extensão (Cepeac) da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis da Universidade de Passo Fundo (Feac/UPF) realiza, desde o ano de 1993, o cálculo do custo da cesta básica de Passo Fundo e de algumas cidades da região com o objetivo de conhecer a evolução do poder de compra das famílias.

O professor que integra a equipe executora do estudo, Dr. Julcemar Bruno Zilli, lembra o cenário econômico da época para o desenvolvimento do cálculo. “Em conversa com um dos criadores da pesquisa da cesta básica, professor Dr. Marco Antonio Montoya Rodriguez, a ideia surgiu devido a década de 1990 ter sido marcada por vários períodos de hiperinflação e os índices de inflação levavam em consideração o comportamento dos preços das regiões metropolitanas. Diante disso, existia a necessidade de fazer um acompanhamento regional da evolução dos preços dos produtos, visto que muitos segmentos da economia consideravam que a inflação do país divergia da inflação regional, principalmente no interior do Rio Grande do Sul”, conta.

Ainda, conforme Zilli, pela complexidade de realização e acompanhamento de um índice de inflação, optou-se, na época, por realizar estudos e acompanhamentos sobre o valor da cesta básica de Passo Fundo com o envolvimento de 15 estagiários do curso de Ciências Econômicas, utilizando recursos da Fapergs e da UPF para a realização da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) e a elaboração do Valor da Cesta Básica de Passo Fundo. “A elaboração da pesquisa foi apoiada pela UPF e pelos sindicatos que consideram fundamental conhecer o real valor da cesta básica dos trabalhadores”, relata.


Mas como é feito o cálculo do valor da cesta básica?

O custo da cesta básica é acompanhado em Passo Fundo, e em cidades como Casca e Sarandi. Para isso, em Passo Fundo, a equipe, formada por um estagiário do curso de Ciências Econômicas e por professores, realiza a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), que acompanha, por um mês, os itens consumidos, seus preços e o valor gasto pelas famílias passo-fundenses na aquisição dos bens.

A partir disso, com base nos dados, identifica-se o valor gasto e o quanto cada produto representa do gasto total no mês. “Em um segundo momento, é feita a coleta mensal de preços junto aos mercados e supermercados do município, para atualizar os dados de gastos familiares mediante a média dos preços de cada produto calculada entre todos os mercados. Com isso, pode-se chegar à conclusão mensal sobre o aumento ou a queda nas despesas com a cesta básica. Os resultados, como o valor da cesta básica no mês, sua variação mensal e a variação acumulada em 12 meses, são publicados no Boletim da Cesta Básica e divulgados para a comunidade”, complementa o professor Zilli.

A atividade de confecção do indicador da cesta básica e a elaboração do boletim informativo, segundo o docente, dão subsídios para o estagiário melhorar seu entendimento sobre o mercado, seus determinantes e as interações que cada setor gera nos demais segmentos da sociedade. “Além disso, com todas as informações coletadas, existe a criação de um banco de dados com mais de 1500 informações mensais, que são utilizadas pelo estagiário ou por acadêmicos da Feac na elaboração de pesquisas científicas que são publicadas em revistas ou eventos da comunidade científica nacional e internacional”, destaca Julcemar.

Quem vivencia essas ações do cálculo do custo da cesta básica é o acadêmico Vinícius Zagonel Pereira, do VII nível do curso de Ciências Econômicas. Para ele, a experiência tem contribuído para a sua formação profissional. “Me ajuda a compreender fatores econômicos que explicam o aumento e a diminuição de preços de bens necessários para o cotidiano das pessoas. É algo extremamente bom para um estudante poder presenciar esses efeitos na prática. Fico muito feliz por poder participar da pesquisa e contribuir com o compartilhamento desses dados na cidade de Passo Fundo”, afirma.


Ação visa a expansão

Embora a atividade seja desenvolvida em Passo Fundo, Casca e Sarandi, há a expectativa de ampliar a coleta para outras cidades da região e criar um banco de dados regional sobre os preços e suas variações. “A criação de um banco de dados com preços médios de produtos serviria para uma gama significativa de estudos sobre a economia regional e os impactos das oscilações dos preços sobre a economia”, enfatiza Julcemar.

Na opinião do professor, com base nos cálculos do custo da cesta básica, tem-se a real situação dos valores dos principais itens que compõem a cesta de Passo Fundo, e a população consegue ter um acompanhamento mais apurado sobre suas despesas com os produtos e os impactos que causam na renda familiar. “Também existe a possibilidade de utilizar a variação da cesta básica para fazer reajustes ou correções de valores ao longo do tempo”, finaliza Zilli.

Conheça mais sobre o trabalho do cálculo do valor da cesta básica acessando o site do Cepeac.

Gostou? Compartilhe