OPINIÃO

Teclando - 25/11/2020

Entre vírus, maldades e irresponsabilidades

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Entre vírus, maldades e irresponsabilidades

Tudo está muito confuso. Ano atípico, a sociedade dividida está retrocessiva. Fake news e covid-19 aproveitam-se da carência de unicidade, tão necessária para a preservação da humanidade. As portas estão abertas para os vírus que navegam tranquilamente em nosso meio e atacam por todos os lados. Persistem vírus conhecidos há séculos e que ainda afetam os seres humanos. Circulam vírus distribuídos pela maldade do próprio homem, através de corjas estruturadas nas redes sociais. Existe, agora, um novo vírus, um desconhecido inimigo invisível que transformou a vida dos terráqueos numa pandemia. E temos o mais perigoso de todos os vírus: a prepotência de ocupantes de cargos públicos, cuja irresponsabilidade agride o nosso bom senso, abrindo as comportas para os outros vírus que estão nos atacando.

Gastam saliva para discutir sobre a origem das vacinas, assim como se discute o sexo dos anjos. Enquanto isso, a pandemia prossegue lépida e faceira. Os números, de gélida e incontestável lógica, escancaram que o momento é péssimo. E não se trata apenas de uma nova onda. É mais uma obviedade de que a pandemia não deu trégua. Ela prosseguiu. Nós estacionamos. Ou, bem pior, desdenhamos do inimigo. Então, logo iremos enterrar mais amigos ou familiares, graças à irresponsabilidade que vai das festinhas clandestinas à soberba de despreparados governantes. Dias piores já batem à nossa porta.

Das ferraduras ao Aeromóvel

Na semana passada, morreu Oskar Coester, nada mais nada menos do que o inventor do Aeromóvel. Gaúcho, trabalhou na manutenção da Varig, depois fabricou equipamentos eletrônicos de navegação e outras engenhocas, principalmente para a Marinha. Porém, com fixação pela mobilidade urbana, desenvolveu o Aeromóvel, veículo de transporte impulsionado por ar comprimido. Uma grande solução, pois é econômico, necessita de pouco espaço e não polui. Ideal, inclusive, para implantação em Passo Fundo! Mas, como santo de casa não faz milagre, o sistema não vingou no Brasil. Porém, é um êxito na Indonésia, onde opera há mais de 30 anos. Em Porto Alegre ganhou um trecho somente em 2013, ligando a Estação do Trensurb ao Aeroporto Salgado Filho. Será que a história dará o merecido reconhecimento ao gênio Oskar Coester? Acho difícil. Infelizmente, há uma predileção pelos nomes de políticos e militares para as nossas ruas e praças. Inventores e outros pensadores são encobertos pela poeira do galope das ferraduras que passam pelo poder.

Horóscopo

Lendo meu horóscopo para a segunda-feira desta semana. “Bom dia para todas as atividades prazerosas. As diversões e entretenimentos estarão especialmente favorecidos.Este trânsito é propício aos encontros entre amigos e excelente para uma festa.” Ao que parece, não avisaram os astros que há uma pandemia na Terra.

Coleta seletiva

Ainda são pouquíssimas as pessoas que separam o lixo orgânico do lixo reciclável. Será que não conseguem diferenciar? Estamos carentes de uma população mais seletiva, pois pelo que observo a maioria sequer é reciclável.

Iracélio

Leitor com fidelidade histórica às páginas de O Nacional, Iracélio leu em voz alta o título de uma notícia. “Peru - três presidentes em uma semana”. E, é claro, não deixou de fazer seu pontualíssimo comentário. “Mas isso é pra ficar com pena ou com inveja”? É para refletir, Iracélio. Para refletir.

Trilha sonora

George Harrison, Ringo Starr, Eric Clapton e Elton John – While My Guitar Gently Weeps


Gostou? Compartilhe