Três torcedores do Pelotas seguem internados em hospitais da região

?"nibus tombou com 28 passageiros quando retornava de Erechim para a zona do Sul do Estado

Por
· 5 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?


“Fazia poucos minutos que tínhamos saído de Erechim, as luzes internas do ônibus ainda estavam apagadas. Eu percebi uma batida na lateral do ônibus. Senti que ele foi na diagonal para fora da estrada. Comecei a ouvir gritos e percebi que o ônibus tombou na lavoura. Na hora eu apaguei. E quando eu me lembro, já estava perto do vidro. Nós chutamos o vidro, e conseguimos sair para começamos a ajudar a tirar as outras pessoas que estavam lá”.

O relato é do ex-presidente do Pelotas, Ítalo Lopes Gomes. Ele é um dos 28 ocupantes do ônibus que transportava torcedores de Erechim para Pelotas, envolvido no acidente quarta-feira à noite, na RS 135, quando retornavam para a zona Sul do Estado. Momentos antes, o grupo havia amargado a derrota do time da Boca do Lobo diante do Ypiranga, pelo placar de 2 a 1.

Com o braço enfaixado e algumas escoriações pelo corpo, Gomes e outros três torcedores foram recepcionados no apartamento de um ídolo do clube. Assim que soube da notícia do acidente, o ex-centroavante Sandro Sotilli, fez contato com o grupo e abriu a porta de sua casa para hospedá-los.


Sotilli havia ido até Erechim acompanhar a partida e retornou de carro para Passo Fundo. A notícia sobr o acidente chegou pelas redes sociais ainda durante a noite.

"Comecei a acompanhar as redes sociais e tomei conhecimento do acidente. Mas depois que as notícias chegaram e eu fiquei sabendo que não houve óbitos. Fiquei mais tranquilo. Durante a manhã eu procurei ir até os hospitais para ver de que forma poderia contribuir. Quando eles deram alta, eu convidei os torcedores para tomar um café e esperar o ônibus até Pelotas na minha casa”, disse ele.

Mais do que o gesto de um ídolo com o torcedor do clube, Sotilli destaca que o auxilio que prestou às vítimas do acidente está condicionado à solidariedade. “Entre idas e vindas, foram quase cinco anos defendendo o Pelotas. Tenho uma ligação muito grande com o clube, pois conquistamos muitas coisas juntos e, por isso, há um carinho recíproco com a torcida. Mas este gesto que eu fiz não tem nada com o fato de eu ser um ídolo do clube. Se fosse outro clube ajudaria da mesma forma, pois a condição humana está acima disso. Mas quando são pessoas mais próximas, em que vivemos muitas coisas juntos, principalmente alegrias, me traz um sentimento de muita felicidade em estender a mão para ajudar”, disse ele.

 

“Sinto vontade de parar de viajar para assistir aos jogos”


Com 37 anos, Ítalo conta que acompanha os jogos do clube do coração há pelo menos 20. No jogo de quarta-feira, acreditou que sua presença seria importante para apoiar a equipe num momento difícil da competição. O Clube tem apenas um ponto em três partidas no Campeonato Gaúcho.


Com o susto vivido na quarta-feira, o sentimento do ex-dirigente já não é mais o mesmo. “Acompanho o Pelotas há 20 anos, viajei por todo o Brasil, mas com este acidente, sinto que está no momento de parar”, comentou ele.

O ex-presidente do Pelotas sofreu uma lesão na clavícula e vai precisar passar por uma cirurgia, mas como acabou perdendo seus documentos e pertences pessoais no acidente, optou em fazer o procedimento em sua cidade.

 

“Vou voltar para casa e espero que meus amigos que ficaram recebam o apoio necessário”

O torcedor Matheus Vargas faz parte de uma das torcidas organizadas do Pelotas há dois anos. Ele conta que uma tragédia maior foi evitada pela ação rápida das equipes de socorro, que foram comunicadas do acidente de forma rápida e se deslocaram imediatamente.

“O socorro foi muito rápido, como eu fui o primeiro a descer do ônibus fui abordado por um motorista de uma carreta que vinha atrás e já parou para nos ajudar. Depois chegou uma viatura. Começamos a quebrar os vidros do ônibus para tirar as pessoas de dentro. Em seguida chegaram mais viaturas para ajudar a prestar socorro”, lembrou ele.

Ansioso em voltar para casa, Matheus destaca que torce para a recuperação rápida de todos os seus amigos que estavam no ônibus. “Eu estou com uma expectativa grande e estou voltando para casa, mas espero que as outras pessoas que vão ficar internadas recebam todo o apoio necessário para estar em casa o mais breve possível”, disse ele. Mostrando o corte sofrido no joelho direito, ele aproveita o momento para tentar descontrair um pouco. "Tenho mais pontos que o Pelotas".

 

O acidente

Após a partida entre Ypiranga e Pelotas, o ônibus com 28 torcedores mais os dois motoristas, se envolveu em um acidente de trânsito no KM 70 da RS 135, no município de Erechim. Segundo o relato das vítimas, o motorista seguia no sentido Erechim – Passo Fundo, quando um caminhão que seguia em sentido contrário realizou uma ultrapassagem e colidiu na lateral do ônibus.

O condutor do ônibus fez uma manobra defensiva mas acabou saindo da pista, tombou e desceu um barranco de aproximadamente cinco metros, parando em uma lavoura. Equipes de socorristas de toda a região se mobilizaram para atender as vítimas, que foram conduzidas para hospitais de Erechim, Getúlio Vargas e Passo Fundo.

Segundo o registro da Polícia Rodoviária Estadual, 26 pessoas ficaram feridas e foram conduzidas aos hospitais da região.
Os torcedores que foram liberados dos hospitais retornaram para Pelotas na tarde desta quinta-feira, com um ônibus que partiu de Erechim, passando por Getúlio Vargas e Passo Fundo.


Motorista do caminhão se apresentou à polícia

O caminhão que se envolveu no acidente seguiu viagem, mas na manhã de ontem, o motorista do caminhão se apresentou à polícia. No depoimento, relatou que mesmo perdendo o espelho retrovisor, não percebeu que o acidente tinha tamanha gravidade e seguiu viagem.

Ele relatou ter passado a noite em um posto de combustíveis na região Alto Uruguai. Somente durante a manhã percebeu a grande repercussão do caso e optou em se apresentar para prestar esclarecimentos.

Inicialmente ele se apresentou no Posto da Polícia Rodoviária Estadual de Erechim. Após, foi conduzido para a Delegacia de Polícia. Ele prestou depoimento e foi liberado.


Três pessoas permanecem hospitalizadas

Das 26 vítimas conduzidas aos hospitais da região, três delas permaneciam hospitalizadas até o final da tarde de ontem. No hospital Santa Terezinha, em Erechim, estão dois pacientes. Um deles permanece na Unidade de Tratamento Intensivo em estado regular.
Uma terceira vítima segue internada no Hospital São Roque, de Getúlio Vargas. Ele está em observação e aguarda a realização de exames mais detalhados. As vítimas encaminhadas nos hospitais de Passo Fundo receberam alta ainda ontem.


Solidariedade do rival

O acidente com torcedores do Pelotas causou muita apreensão na cidade e trouxe a lembrança de outra ocorrência envolvendo o esporte pelotense. No dia 15 de janeiro de 2009 uma tragédia atingiu o Brasil de Pelotas. O ônibus com a delegação do clube retornava de um jogo-treino contra o Santa Cruz, na cidade de Vale do Sol, e tombou na BR 392 deixando três vítimas fatais. O preparador de goleiros Giovani Guimarães, o zagueiro Régis Gouveia e o Uruguaio Claudio Millar.

Ainda durante a madrugada desta quinta-feira, o clube se solidarizou com o rival: “Recebemos com tristeza e preocupação a notícia de um acidente com torcedores do nosso co-irmão @ecpelotas. Esperamos que não exista situações graves com aqueles que se deslocaram para acompanhar um jogo do seu clube”.

A Federação Gaúcha de Futebol também se solidarizou se manifestou: “A Federação Gaúcha de Futebol se solidariza e deseja uma pronta recuperação aos torcedores do @ecpelotas envolvidos em um acidente de ônibus na RS 135, em Erechim, na noite desta quarta-feira”.

Gostou? Compartilhe