Luciano se reúne com secretariado nesta segunda-feira

Secretários serão avaliados individualmente durante os quatro anos de governo

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

O método administrativo adotado pela futura administração municipal prevê a execução de trinta programas de governo com ações desenvolvidas por mais de uma secretaria. Cada programa terá um gerente, escolhido entre os secretários das pastas envolvidas e todos eles serão avaliados individualmente por critérios que ainda estão sendo decididos. O método inovador foi anunciado pelo prefeito eleito Luciano Azevedo durante a primeira reunião com os futuros secretários. No encontro foram estabelecidos os primeiros compromisso dos secretários a partir do diagnóstico sobre o município. “Falamos um pouco sobre o nosso estilo de trabalho para que nós possamos começar o governo em janeiro afinados, apresentando soluções para os problemas de Passo Fundo”, relatou Luciano.

“Todos os secretários são muito qualificados, mas nós estamos introduzindo uma novidade: vamos trabalhar por programas e os programas terão ações que serão de várias secretarias. Cada programa terá um gerente e nós queremos no prazo determinado cumprir todos os programas que foram estabelecidos durante a campanha eleitoral e que estão agora sendo detalhados”, revelou.

Um dos exemplos citados pelo prefeito eleito é o programa “Bairro a Bairro” que ficará sob a gerência da secretaria de Gabinete, mas deve contar com a atuação de diversas pastas. Secretarias de Saúde, Assistência Social, Transportes e Serviços Gerais e Educação estarão envolvidas neste programa.

A atuação do titular de cada área vai ser avaliada permanentemente. “Os secretários assumiram o compromisso conosco de cumprirem tudo que nós determinamos e nada mais justo que nós possamos medir o desempenho de cada um deles”, ponderou. De acordo com Luciano, as avaliações serão limitadas ao primeiro escalão e não devem ser estendidas aos servidores. “Queremos uma administração que tenha alto índice de rendimento na busca de soluções, mas não acho justo medir o desempenho dos servidores”, explicou.

Sem lamentação
Frustrando as expectativas de saldo positivo para as finanças municipais em 2012, o encolhimento dos repasses federais, noticiado por O Nacional na edição de final de semana, é um novo elemento a ser administrado pelo próximo prefeito. “O grande desafio é começar um governo que, segundo os próprios dirigentes do governo atual, enfrenta uma redução de recursos em relação aos repasses federais. Vamos enfrentar isso com criatividade, com economia e soluções que começamos a construir hoje (segunda-feira) aqui nesta reunião”, avaliou Luciano.
O prefeito eleito admite que o impacto da redução orçamentária deste ano possa prejudicar um pouco o início de sua gestão, mas garante que esse fator deve ser superado e não pode ser usado como justificativa. “Vamos trabalhar com os recursos que temos, sem reclamar e olhando para frente, com muito otimismo para buscar soluções, sem nenhum tipo de desculpa”, assegurou.

Novo prazo: 15 de dezembro
As metas para os primeiros cem dias de governo estarão definidas no dia 15 de dezembro, quando acontece o próximo encontro da futura administração. “Neste período os secretários realizarão encontros menores entre eles, de acordo com os programas que estamos construindo”, relatou Luciano. Além do prefeito eleito, o grupo que definirá os passos iniciais da gestão vai reunir o vice Juliano Roso, a secretária de Planejamento Ana Paula Wickert e o secretário de Transportes e Serviços Urbanos Cristiam Thans.

Enquanto isso o grupo de transição segue trabalhando e deve agilizar o trabalho. “Temos procurado entender o método que está sendo utilizado na transição. Temos a expectativa de que a transição se acelere a partir de agora para que possamos ter acesso pleno à administração”, disse Luciano.

Confira aqui os 20 futuros secretários

Gostou? Compartilhe