Temporal causa estragos em cidades da região

Bombeiros de Passo Fundo atenderam seis ocorrências de quedas de árvore

Por
· 2 min de leitura
Luciano Breitkreitz/ON Luciano Breitkreitz/ON
Luciano Breitkreitz/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

As chuvas fortes e vendavais na madrugada e durante a terça-feira, causaram prejuízos na região Norte do Rio Grande do Sul. A Coordenadoria Regional da Defesa Civil registrou estragos em pelo menos oito cidades. 

O período mais crítico do temporal aconteceu por volta do meio dia e começo da tarde. Em Passo Fundo, a Embrapa registrou até as 9h, 69 milímetros de chuva acumulada. No entanto, os estragos na região foram causados principalmente por vendavais.  Na cidade, de acordo com informações preliminares do Corpo de Bombeiros, até o final de tarde de terça-feira (30), foram recebidas seis solicitações de lonas provisórias e seis ocorrências de quedas de árvores. Pontos da cidade ficaram sem luz. A  RS 135, entre Passo Fundo e Erechim, teve três pontos da rodovia interrompidos e ficou completamente bloqueada.  A liberação do trânsito ocorreu somente no final da tarde. 

Região

Image title

Em Tapejara, os estragos foram contabilizados na localidade de Coroado Alto, onde o salão da comunidade foi destruído e a Igreja destelhada. Também foram registrados estragos em galpões e residências da cidade. De acordo com o Secretário de Obras e Serviços Urbanos, Walter Fontana, a terça-feira foi de limpeza e remoção dos entulhos provocados pelo vendaval.  Situação que se repetiu em Marau. O secretário responsável, Jair Dalberto, relatou que a cidade teve uma ventania muito forte por volta das 9h30m. Pelo menos cinco comunidades registraram estragos, com   quedas de árvores, aviários, galpões e algumas residências destruídas. “A gente está com pessoas na rua, com equipamentos de máquinas, dando um auxílio para os produtores”, disse Dalberto.  Auxílios futuros ainda serão avaliados.

(Foto: estragos em Tapejara/Assessoria de Comunicação de Tapejara)

No município de Gentil e na localidade de Campo do Meio houve  queda de granizo. A cidade contabilizou, até o final da tarde, oito pontos de residências com danos e várias situações de árvores caídas devido ao vento. “Felizmente, não teve estragos maiores”, disse o prefeito Alcenir Dalmago.

Chuva

Em relação ao volume de chuvas, o mês fechou com 241mm, quase o dobro do normal de 134mm. “É segundo mês consecutivo que as chuvas superam valores mensais”, afirma o pesquisador da Embrapa Trigo, Gilberto Cunha. Assim, é interrompido o ciclo de chuvas abaixo do normal. “Possibilita a recuperação dos reservatórios de água”, disse o  pesquisador.

Previsão

A chuva deve continuar hoje (01), no entanto a Defesa Civil não emitiu novos alertas de temporal. O órgão alertou durante a tarde para uma possível formação de ciclone extra tropical sobre o Oceano Atlântico decorrente da passagem de frente fria. De acordo com a Defesa Civil, "a instabilidade pode ocasionar ventos entre 60 e 70km/h no interior e entre 80 e 100km/h na costa gaúcha".

As chuvas devem parar na quinta (02) com queda  acentuada na temperatura, principalmente   na sexta e no sábado, devido a uma massa de ar frio, de acordo com Cunha. Na sexta-feira, a temperatura mínima deve chegar aos 2ºC e a máxima a 10ºC, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. O sábado deve registrar mínima de 3ºC e máxima de 14ºC.

Notícia atualizada às 08h03 para acréscimo de informações

Gostou? Compartilhe