Município e hospitais solicitam apoio do Estado no enfrentamento da pandemia

Por
· 3 min de leitura
(Foto: Divulgação/PMPF)(Foto: Divulgação/PMPF)
(Foto: Divulgação/PMPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

O prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, e representantes de hospitais se reuniram nesse sábado (6) com a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, para solicitar suporte ao enfrentamento da pandemia. O Município, além de retratar o cenário local, atingido pelo aumento de casos e a alta ocupação de leitos, apresentou as ações que foram realizadas para solucionar demandas emergentes.

O prefeito ponderou que o momento exige esforços conjuntos e que o Município trabalha para ampliar toda a área da saúde. "Passo Fundo é polo em saúde, atendendo diversos municípios. A Prefeitura tem adotado medidas, como a ampliação do Pronto Atendimento do Hospital Municipal e a contratação de novos profissionais, para aliviar os hospitais, que são atingidos pela escassez de recursos financeiros e profissionais devido à lotação. Precisamos estar unidos e agir em sintonia para salvar vidas", considerou.

A secretária estadual de saúde afirmou que o Governo do Estado está atento às medidas estabelecidas pelo Município e às necessidades dos hospitais. Ainda, apontou para algumas soluções buscadas pelo Governo do Estado para dar auxílio no atendimento da população.


Medicamentos

O administrador do Hospital de Clínicas, Luciney Bohrer, e o administrador do Hospital São Vicente de Paulo, Hilário de David, sinalizaram as preocupações das instituições. Entre elas, está a aquisição de medicamentos para o tratamento dos pacientes.

Arita explanou que o Estado está mobilizado para garantir os medicamentos. "A compra de medicamentos é responsabilidade dos hospitais, não da gestão do Estado, mas estaremos juntos. Em contato com empresas, fomos informados de que não haverá desabastecimento. No entanto, se precisarmos buscar fora do pais, isso será feito", avaliou.

Também questionada sobre a disponibilidade de oxigênio, a secretária de Saúde comentou que o Estado está em contato com as empresas a fim de confirmar o estoque. "O governador já enviou uma correspondência para os fornecedores do Rio Grande do Sul pedindo informações sobre estoque disponível", esclareceu.


Mais leitos de UTI

Frente à elevada ocupação dos leitos de UTI e o empenho dos hospitais para garantir atendimento à população, o Estado se comprometeu a locar mais 10 unidades. Agora, o Município avaliará com as instituições qual possui estrutura física para mantê-los. 

Sobre os profissionais para atuar nesses leitos, o que também representa uma demanda, o Estado evidenciou que irá ofertar ao Município o cadastro feito com trabalhadores de todo o Rio Grande do Sul. "Criamos, na última quarta-feira, um banco de cadastro de profissionais. Em 72 horas, cadastramos 4,2 mil profissionais de todas as áreas. Encaminharemos esse banco de dados dos profissionais, que devem selecionados por área. É uma alternativa para tentarmos ajudar a captar trabalhadores que estão disponíveis no mercado", sugeriu Arita.


Vacinas

Outra questão levantada durante o encontro é a aquisição de vacinas para a continuidade da cobertura vacinal dos grupos de risco.

Conforme a secretária de Saúde, o Estado já tomou providências para tentar a compra dos imunizantes. "O governador tem se envolvido diretamente nisso, na coordenação de uma possível compra por parte do Estado. No presente momento, observamos que não há disponibilidade de imunizantes para venda, porque toda a produção está em tratativas e contratos com o Ministério da Saúde. As indústrias têm compromisso, primeiramente, com o Governo Federal", reiterou.

O Estado recebeu, até agora, 1,1 milhão de doses, em sete remessas. Conforme Arita, a previsão é que, em março, o governo estadual receba mais doses, viabilizando a sequência da vacinação dos idosos. "Não sabemos quantificar, mas não ultrapassarão de 200 mil doses. Continuaremos vacinando os idosos, que são prioridade", adiantou.


União de esforços

Durante a reunião, o prefeito, Pedro Almeida, enalteceu o esforço dos hospitais e profissionais da saúde, que estão fazendo o possível no enfrentamento da Covid-19. Ainda, enfatizou que a luta contra a pandemia precisa da articulação entre os governos municipal e estadual. "Vivemos um momento difícil e, por isso, pedimos um olhar atencioso para Passo Fundo, que recebe pessoas de toda região. Só venceremos essa luta se trabalharmos todos juntos" salientou.

Também estiveram presentes a secretária municipal de saúde, Cristine Pilati, o diretor do Hospital Municipal, Roger Teixeira Borges, o coordenador da 6ª Coordenadoria Regional de Saúde, Marcelo Pacheco, e o deputado estadual Mateus Wesp.

Gostou? Compartilhe