Ministério da Saúde autoriza o início da vacinação para a população geral

Vacinação dos grupos prioritários deve ser mantida

Por
· 1 min de leitura
A vacinação deve ser realizada por faixa etária (Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil)A vacinação deve ser realizada por faixa etária (Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil)
A vacinação deve ser realizada por faixa etária (Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil)
Você prefere ouvir essa matéria?

O Ministério da Saúde informou em nota divulgada hoje (28), que autoriza o início da vacinação para a população geral, entre 18 e 59 anos, nos estados e municípios que relataram demanda diminuída dos grupos elencados no plano de vacinação.

A vacinação deve ser realizada por faixa etária, de forma decrescente. “Esse grupo poderá começar a ser imunizado de maneira escalonada e por faixas etárias decrescentes, desde que a vacinação dos grupos prioritários restantes seja mantida e cumprida, de acordo com a ordem estabelecida pelo PNO [Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19]”, acrescenta o ministério ao informar que começará a enviar doses aos estados, de forma escalonada, para atender a esse público, juntamente com outros grupos prioritários.

"Assim que conseguirmos contemplar todos esses grupos prioritários no Estado, especialmente os profissionais envolvidos na educação, o que nos possibilitará um retorno mais seguro das aulas presenciais, iremos avançando por idade para a população em geral. Estamos na expectativa de um novo lote de doses nas próximas semanas, que nos permita seguir na imunização de forma mais rápida", explicou a secretária da Saúde do Rio Grande do Sul, Arita Bergmann.

Educação

O Ministério da Saúde também informou que vai antecipar a vacinação contra a covid-19 para os profissionais da educação. A orientação da pasta é a de priorizar os trabalhadores que atuam em creches e, de maneira escalonada, ir ampliando a vacinação para os que trabalham em pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e educadores de jovens e adultos. Na sequência, os vacinados serão os trabalhadores da educação do ensino superior.

Segundo o ministério, a priorização dos profissionais da educação se deve aos impactos sociais ocasionados pela covid-19, associados à necessidade de volta às aulas presenciais. “As creches e escolas contribuem não só para a educação de milhares de brasileirinhos como também garantem a segurança alimentar das crianças”, justificou. Em Passo Fundo, a vacinação dos trabalhadores da educação já é realizada.

Com informações da Agência Brasil

Notícia atualizada às 16h18

Gostou? Compartilhe