Estado antecipa previsão de conclusão de aplicação da primeira dose na população adulta

Também foi anunciada uma premiação para cidades que mais vacinarem

Por
· 2 min de leitura
A SES também estima que toda a população gaúcha adulta receba também a segunda dose até dezembro (Foto: Divulgação/PMPF)A SES também estima que toda a população gaúcha adulta receba também a segunda dose até dezembro (Foto: Divulgação/PMPF)
A SES também estima que toda a população gaúcha adulta receba também a segunda dose até dezembro (Foto: Divulgação/PMPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

O governo do Estado anunciou, em transmissão ao vivo nesta quinta-feira (24), a antecipação da conclusão da aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 em toda a população adulta gaúcha até 20 de setembro.

No começo de junho, a Secretaria da Saúde (SES) já havia anunciado a possibilidade de, até setembro, imunizar todos os integrantes dos grupos de maior vulnerabilidade, os trabalhadores da educação e ainda vacinar, com a primeira dose, o público das faixas etárias até18 anos. A previsão inicial era de que esse patamar seria alcançado até o final do mês de setembro.

 SES estima, ainda, que toda a população gaúcha adulta receba também a segunda dose do imunizante até dezembro deste ano.

“O Brasil, lamentavelmente, atrasou a vacinação por conta de decisões equivocadas por parte de quem deveria liderar racionalmente esse processo. Sabemos que apenas a vacina, com imunização da maior parcela da população, é que vai dar segurança para preservar vidas e permitir o retorno à normalidade, até para que a economia possa voltar a reagir mais fortemente”, disse o governador Eduardo Leite.

“Temos segurança de conseguir cumprir esse calendário se o Ministério da Saúde continuar encaminhando as doses previstas em torno de 2,2 milhões de doses mensais, o que vem sendo cumprido. porque o RS está organizado para isso”, disse a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

A secretária acredita que exista possibilidade de oferecer inclusive maior cobertura vacinal, visto que 410 dos 497 municípios gaúchos já têm registro de aplicação de doses em população com menos de 50 anos.

“Estamos recebendo nesta quinta-feira (dia 24) 434 mil doses e, na sexta, já vamos distribuir 334 mil para a primeira dose. O RS já demonstrou para o Brasil que é o Estado que mais vacina com a segunda dose. Isso significa proteção da nossa população. Pedimos que a população se mobilize, porque a vacina é segura, é eficaz, e deve ser somada aos demais cuidados que todos nós temos de ter, como uso de máscara e distanciamento”, destacou Arita.

Incentivo

Para incentivar uma competição saudável para a vacinação contra a Covid-19 entre os municípios gaúchos, o governo do Estado também anunciou nesta quinta (24) uma proposta de incentivo às prefeituras, com duas premiações em duas datas, para que as cidades acelerem a imunização da população.


A proposta prevê R$ 1,25 milhão, divididos em duas datas: R$ 625 mil no dia 20 de julho e R$ 625 mil em 20 de agosto. A premiação será repassada aos municípios que, proporcionalmente, mais vacinarem, de acordo com o número de doses aplicadas e registradas no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) sobre o número de doses distribuídas, em cada um dos quatro portes: acima 100 mil habitantes, de 99.999 a 50 mil habitantes, de 49.999 a 10 mil habitantes e abaixo de 10 mil habitantes.

A proposta é que os valores da premiação sejam aplicados na Atenção Primária em Saúde, que é responsabilidade dos municípios.

Uma portaria com todas as regras e orientações sobre o prêmio será publicada nos próximos dias, mas a ideia, conforme Leite, é antecipar o anúncio para que as prefeituras se organizem e possam realizar o processo de imunização da melhor forma possível.

Segundo a secretária da Saúde, para conseguirem acelerar o processo de imunização, os municípios podem, entre outras medidas, reforçar o cuidado com o registro das doses aplicadas, pois será a base para a premiação, além de ampliar a busca ativa das pessoas que por algum motivo não procuraram a unidade de saúde onde a vacina está sendo aplicada, envolver ainda mais os agentes comunitários de saúde e as associações comunitárias espalhadas por todos os bairros e ampliar a divulgação com relação aos públicos-alvo e locais de aplicação das doses em cada cidade.

Gostou? Compartilhe