Vacinação contra a gripe imunizou apenas 48,1% nos grupos prioritários

Vigilância em Saúde de Passo Fundo alerta para os riscos da doença

Por
· 2 min de leitura
Apenas 42.142 pessoas tomaram a vacina em Passo Fundo (Foto: Arquivo/ON)Apenas 42.142 pessoas tomaram a vacina em Passo Fundo (Foto: Arquivo/ON)
Apenas 42.142 pessoas tomaram a vacina em Passo Fundo (Foto: Arquivo/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

A campanha de vacinação contra a gripe teve início em 12 de abril em todo o país. Desde então, apenas 48,1% da população dos grupos prioritários em Passo Fundo foi imunizada. Isto é, de um público-alvo de mais de 84,5 mil pessoas, apenas 42.142 tomaram a vacina. 

“A procura está muito baixa, estamos em julho praticamente e a gente está com as metas muito abaixo do esperado”, ressalta a coordenadora de Vigilância em Saúde de Passo Fundo, Marisa Zanatta. No grupo dos idosos, por exemplo, a cobertura vacinal está em 53,7%. Em outros grupos, como professores e pessoas com comorbidades, a cobertura é ainda mais baixa, ficando em 35% e 42,2%, respectivamente. As coberturas mais altas são dos grupos de puérperas (61,4%), trabalhadores da saúde (68,3%) e indígenas (89,7%). 

Com o frio intenso, a preocupação com a baixa cobertura vacinal aumenta. “As pessoas não têm que se preocupar só com a vacina contra a Covid-19. A influenza também mata e também requer hospitalizações graves. É uma vacina disponível e que as pessoas não estão procurando”, destaca Marisa. A orientação do Ministério da Saúde é que a vacinação contra o coronavírus seja priorizada e respeitado o intervalo de 14 dias entre as vacinas. 

A vacinação dos grupos prioritários está marcada para continuar até 9 de julho. No entanto, Marisa alerta que a vacinação pode ser aberta “daqui a pouco” para a população em geral, devido a baixa procura. “Aí quem tem mais risco de ficar doente não vai estar imunizado. Porque assim que abrirmos para a população em geral, logo acaba”, alerta a coordenadora.

Fase 3

A fase atual da campanha contempla pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários e pessoas do sistema de privação de liberdade e jovens sob medidas socioeducativas. No entanto, pessoas de grupos prioritários das fases anteriores, como idosos e crianças, ainda podem se vacinar.

Documentos

Para a vacinação, são exigidos documentos que comprovem a inserção nos grupos prioritários. Os trabalhadores devem apresentar um documento que evidencie a vinculação ativa ao serviço. As pessoas com comorbidades, o atestado médico ou prescrição médica atualizada. As gestantes devem portar a carteirinha de acompanhamento da gestação e puérperas, a certidão de nascimento da criança. Crianças precisam ter junto o cartão da criança. Em relação à pessoas com deficiência, será considerada a deficiência autodeclarada.

Locais de vacinação

  • Ambulatório São José e Ambulatório São Luiz Gonzaga, das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30
  • ESF Nenê Graeff, ESF Zachia, ESF Donária/Santa Marta, ESF Adolfo Groth, ESF Adriana Lírio, ESF Caic Edu Azambuja, ESF Ivo Ferreira, ESF Jardim América, ESF Mattos, ESF Planaltina, ESF São Cristóvão, ESF Valinhos, ESF Vila Ricci, ESF Jaboticabal, das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30;
  • Ambulatório de Especialidades, Cais Hípica e Cais Vila Luíza, das 8h às 18h;
  • UBS Vila Nova/Santa Maria, UBS Parque Farroupilha, UBS Adirbal Corralo e UBS Jerônimo Coelho, das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30
  • As crianças também podem ser vacinadas na Central de Vacinas, das 8h às 18h.


Gostou? Compartilhe