Chamamento público de 52 novos médicos e 32 profissionais de saúde é autorizado

Entre as funções estão técnicos de Enfermagem, enfermeiros e farmacêuticos

Por
· 1 min de leitura
(Foto: Divulgação)(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

Conforme anunciado ontem (22), o prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, autorizou nesta manhã (23) o chamamento público de 52 novos médicos e 32 profissionais de saúde. Entre as funções estão técnicos de Enfermagem, enfermeiros e farmacêuticos que irão atuar no enfrentamento à pandemia. O chamamento decorre da realização de concursos públicos anteriores que não tiveram suas vagas preenchidas e que serão utilizados agora em decorrência do interesse público

Conforme o prefeito, os dois editais prevendo a contratação emergencial destes novos profissionais representam um esforço da Administração para assegurar investimentos em recursos humanos durante a pandemia. “Sabemos que muitos médicos e profissionais que atuam na linha de frente contra a Covid-19 demonstram cansaço físico e mental. Estamos reforçando as nossas equipes de saúde, ampliando as unidades de referência no atendimento à população e fazendo aquilo que compete à Administração para combater a doença”, resumiu Pedro.

De acordo com a secretária de Saúde, Cristine Pilati, o chamamento de mais médicos e profissionais para as diferentes áreas previstas nestes editais é fundamental para o plano de expansão das unidades de triagem e atendimento de pacientes sintomáticos e casos suspeitos de Covid-19. “Além da ampliação da rede para o atendimento, demandamos que haja recursos humanos para atender ao aumento da demanda. Nossa expectativa com este chamamento é extremamente positiva e esperamos que os quadros sejam preenchidos com a brevidade que o momento exige”, observou ela.

O prefeito reforçou ainda a importância de que os profissionais chamados nestes processos assumam as nomeações e preencham as vagas. “Diante do agravamento da situação decorrente do aumento de casos ativos e da velocidade de propagação viral, precisamos reforçar nossas equipes de atendimento e, além disso, efetivar uma nova unidade de referência para a doença”, finalizou o chefe do Executivo.

Gostou? Compartilhe