Passo Fundo compõe equipe diretiva da Rede Brasileira de Cidades Educadoras

Junto com as cidades de Guarulhos, Vitória e Curitiba, Passo Fundo se torna uma das referências nacionais na construção de atividades que promovam a integração dos municípios que pertencem ao movimento internacional de Cidades Educadoras

Por
· 1 min de leitura
Foto: Diogo Zanatta/PMPFFoto: Diogo Zanatta/PMPF
Foto: Diogo Zanatta/PMPF
Você prefere ouvir essa matéria?

A tarefa de tornar Passo Fundo uma Cidade Educadora vai além da construção dos processos educacionais e pedagógicos trabalhados no interior das escolas públicas e privadas instaladas no município. Desde abril, quando a cidade ingressou na Associação Internacional das Cidades Educadoras (AICE) e aderiu à carta que norteia este programa mundial, a Prefeitura vem compartilhando experiências e informações que possam contribuir para a implantação de medidas voltadas ao desenvolvimento integral de seus habitantes.

Conforme o prefeito, Pedro Almeida, inserir Passo Fundo como uma Cidade Educadora significar ampliar o potencial educacional do município, certificando a cidade como um “espaço diversificado, plural, aberto para todos”. “No Brasil, são 21 cidades que integram o programa. Ao nos associarmos a esta iniciativa estamos demonstrando o nosso compromisso com o fomento não apenas da educação, mas também com o crescimento de todas as áreas que vão nos tornar uma cidade ainda mais humana e democrática”, argumentou ele.

Recentemente, contou Pedro, Passo Fundo foi eleita, por aclamação, junto com os municípios de Guarulhos, Vitória e Curitiba, para compor a equipe organizadora da Rede Brasileira de Cidades Educadoras. “É uma conquista para nós. Em pouco tempo compondo este movimento já nos tornamos uma cidade reconhecida e capacitada a ajudar na formatação de projetos e iniciativas que promovam a integração entre as localidades que pertencem às Cidades Educadoras”, reiterou o prefeito.

O secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, explicou que compor esta coordenação representa um reconhecimento do potencial de nossa cidade em mobilizar as cidades do sul do país em torno deste projeto de efetivação de uma rede de cooperação. “Embora nossa entrada tenha ocorrido a pouco mais de três meses, várias ações realizadas contribuíram para esta escolha. Dentre elas, destaca-se o Seminário Internacional Passo Fundo Cidade Educadora, realizado em junho, e os diferentes projetos apresentados no VIII Encontro Nacional de Cidades Educadoras: Projeto Ki_da_Horta; Programa EducatechPF, Prisma Espaço Geek e Trilhas Formativas para Profissionais de Educação”, argumentou ele.

Teixeira destacou ainda que tornar-se uma Cidade Educadora fortalece o direcionamento das políticas públicas que estão em consonância com a visão e o trabalho da gestão municipal em prol da educação. “Há 20 elementos que vão nortear a articulação entre projetos e as ações na cidade. Entre eles, uma educação inclusiva ao longo da vida, ações na linha da diversidade e não discriminação, de acesso à cultura e de diálogo intergeracional, ações de conhecimento do território, de formação, adequação dos espaços e de participação dos cidadãos”, resumiu.


Gostou? Compartilhe