Residência promove uma imersão na área de Medicina Veterinária

Egressa de Residência em Medicina Veterinária da UPF compartilha suas experiências e as contribuições da especialização na sua carreira profissional

Por
· 3 min de leitura
A egressa da Residência Profissional Integrada em Medicina Veterinária da UPF, Veridiane da Rosa Gomes, comenta sobre as contribuições da especialização na sua carreira (Foto: Arquivo pessoal/ Veridiane da Rosa Gomes)A egressa da Residência Profissional Integrada em Medicina Veterinária da UPF, Veridiane da Rosa Gomes, comenta sobre as contribuições da especialização na sua carreira (Foto: Arquivo pessoal/ Veridiane da Rosa Gomes)
A egressa da Residência Profissional Integrada em Medicina Veterinária da UPF, Veridiane da Rosa Gomes, comenta sobre as contribuições da especialização na sua carreira (Foto: Arquivo pessoal/ Veridiane da Rosa Gomes)
Você prefere ouvir essa matéria?

O Programa Residência Profissional Integrada em Medicina Veterinária da Universidade de Passo Fundo (UPF) oferece um intensivo de treinamento de demandas do mercado de trabalho voltadas para prevenção, diagnóstico e tratamento de enfermidades que acometem animais domésticos. Além de ser um diferencial no currículo, permite uma aproximação com o mercado de trabalho na área de atuação que o profissional deseja seguir. Na UPF, essa especialização tem duração de dois anos e os residentes recebem uma bolsa durante o período do curso.

A formação na UPF possibilita a especialização em áreas como Clínica Médica, Cirurgia de Pequenos Animais, Anestesiologia, Patologia e Patologia Clínica Veterinária, além da oportunidade de experiência em saúde pública. A egressa da Residência Profissional Integrada em Medicina Veterinária da UPF (2014), Veridiane da Rosa Gomes, também formada em Medicina Veterinária pela UPF, comenta sobre as contribuições da especialização na sua carreira. Atualmente, ela trabalha com a área de Clínica Médica de Pequenos Animais, com foco no atendimento especializado em nefrologia e urologia, além de ser professora no curso de Medicina Veterinária da Uniceplac, no Distrito Federal. É mestre em Ciência Animal e, neste momento, é doutoranda nesta mesma área pela Universidade de Goiás.


“A residência foi essa luz, desde o primeiro dia, até o último”

A área clínica e a docência sempre estiveram nos planos de Veridiane e a residência ajudou a médica veterinária a aprender mais sobre essas duas vertentes de atuação. “De fato, os anos de residência foram para mim, os mais importantes dentro da minha profissão. Quando saímos da graduação, nossa mente turbilha em questionamentos: ‘será que eu vou saber atender um paciente?’, ‘será que esse é o problema mesmo?’. Nesse momento, estamos ali, buscando uma luz no meio de anamnese, sinais clínicos e resultados de exames. Nesse contexto, a residência foi essa luz, desde o primeiro dia, até o último”, comenta a egressa da UPF.

Na residência, a médica veterinária teve a oportunidade de discutir casos clínicos, exames, estudar junto com os colegas e desenvolver trabalhos junto à comunidade. Além da área de clínica, ela aprendeu mais sobre anestesia, cirurgia e laboratório. Vivências e práticas que facilitaram a colocação dela no mercado de trabalho. “Em todas as entrevistas de emprego que fiz, os profissionais sempre citavam minha experiência como residente. Durante a seleção no mestrado, a residência melhorou a minha pontuação na análise de currículo. Fora o fato de ter desenvolvido bastante a parte técnica, também construí amizades que carrego até hoje, conheci pessoas que me auxiliaram a seguir a carreira de docente, ministrei aulas. Tenho casos que uso até hoje como exemplo, ‘do que perguntar ao tutor’, ‘qual melhor exame a ser solicitado em determinada suspeita’”, observa Veridiane.


“Posso considerar a residência como um ‘divisor de águas’ em minha carreira”

A residência é uma espécie de imersão total na profissão e exige muita dedicação. Todo esse esforço é reconhecido por Veridiane. “Olhando para trás, posso considerar sim a residência como um ‘divisor de águas’ em minha carreira. Ali eu aprendi, cresci, tive ótimos professores a quem recorrer, tive colegas para me apoiar”, declara a egressa da UPF, ressaltando também a importância dessa formação realizada pela Universidade. “Sou muito grata por ter feito essa escolha e mais grata ainda por ter escolhido a UPF para realizar esse processo de formação”, afirma Veridiane.


Sobre as Residências da UPF:

Além da Residência Integrada em Medicina Veterinária, a UPF oferece a Residência Multiprofissional Integrada em Saúde do Idoso nas áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Nutrição, a Residência Multiprofissional em Cardiologia nas áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Psicologia, a Residência Multiprofissional em Atenção ao Câncer (UPF/HC) nas áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Psicologia, Residência Multiprofissional Integrada em Atenção ao Câncer (UPF/HSVP) nas áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia e Serviço Social e Residência em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial em área profissional de Odontologia.

A duração dos cursos é de dois anos, exceto no Programa de Residência em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, cujo prazo de duração é de três anos. Os residentes recebem uma bolsa de aproximadamente R$ 3,3 mil.

As inscrições para os programas de residências da UPF iniciam em outubro de 2021. Mais informações em www.upf.br/pos, em Residências.  


Gostou? Compartilhe