Acordo garante máquinas para recuperar estradas vicinais

Treze municípios gaúchos vão contar com reforço de caminhões, escavadeiras hidráulicas, rolos compactadores e motoniveladoras para obras emergenciais

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Treze municípios gaúchos vão contar com reforço de máquinas para obras consideradas emergenciais. Caminhões, escavadeiras hidráulicas, rolos compactadores e motoniveladoras serão usados, principalmente, para a recuperação de estradas vicinais, mas também para melhorias em vias urbanas e para a limpeza e o desassoramento de arroios. O termo de acordo entre o governo do Estado, as prefeituras e a empresa Komak foi assinado nesta quinta-feira (28), no Palácio Piratini.



Os municípios beneficiados neste primeiro momento são Agudo, Barros Cassal, Boqueirão do Leão, Braga, Faxinal do Soturno, Maratá, Pareci Novo, Progresso, Riozinho, Santana do Livramento, São Jerônimo, Uruguaiana e Venâncio Aires. Todos decretaram situação de emergência por causa de perdas e estragos decorrentes de fenômenos climáticos, como chuvas fortes e alagamentos, em 2017. O investimento é de R$ 2.496.753,93 e vai servir para contratar horas de equipamentos da empresa, que ficará responsável pelos serviços. Serão, pelo menos, 12 mil horas contratadas e 1,6 mil quilômetros recuperados, segundo estimativas iniciais.



O governador José Ivo Sartori destacou, mais uma vez, a importância de trabalhar com parcerias. "Melhorar a infraestrutura dos municípios é o mínimo que a gente pode fazer, mas os recursos são poucos. Por isso, as parcerias com a iniciativa privada são tão importantes, sempre respeitando as questões jurídicas, claro. Hoje, assinamos aqui mais um documento que demonstra o nosso esforço para manter sempre a boa relação com os municípios. O cidadão lá na ponta, que precisa se locomover e escoar a sua produção, é quem sai ganhando", disse.



Segundo o secretário de Obras, Saneamento e Habitação, Fabiano Pereira, o termo de acordo é uma novidade que deve melhorar e agilizar os trabalhos após situações de emergência. "Nós estamos inovando na forma de contratar. Antigamente, o Estado emprestava as suas máquinas por vinte dias para os municípios. Só que, muitas vezes, era pouco tempo, a prefeitura não tinha operador para certas máquinas, tinha toda a demora de um processo de licitação, a lentidão do serviço público. Então, a Secretaria fez um trabalho com o acompanhamento da Contadoria-Geral do Estado e da Procuradoria-Geral do Estado para montar essa contratação de horas-máquina. Nós contratamos a empresa, a empresa chega no município com as suas máquinas e os seus funcionários e fica responsável por todo serviço. Faz a obra e vai embora. É uma parceria inovadora, com muita rapidez para as comunidades", explicou.



O dinheiro já está liberado e, em alguns municípios, as obras até já começaram. O valor para cada prefeitura, o número de horas contratadas e os quilômetros recuperados variam conforme cada caso.



Também participaram da solenidade a secretária de Políticas Sociais, Maria Helena Sartori, o procurador-geral do Estado, Euzébio Ruschel; o contador e auditor-geral do Estado, Álvaro Panizza Salomon; prefeitos; vice-prefeitos e secretários municipais das treze cidades contempladas.

Gostou? Compartilhe