Criminosos aplicam golpe superior a R$ 100 mil reais em Passo Fundo

Eles roubavam cartões de crédito e transferiam os valores para as contas dos envolvidos no esquema

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ONDivulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Na noite de sexta-feira (24), a Polícia Civil, por meio da Draco, coordenada pelo Del Diogo Ferreira, efetuou a prisão em flagrante de três pessoas pelos crimes de receptação e associação criminosa, no bairro Annes Passo Fundo.

Os presos foram flagrados na posse de cartões de crédito de vítimas de estelionato ocorridos nesta semana em Passo Fundo, quatro máquinas de cartão, dinheiro e documentos.

O Delegado Diogo explica que este tipo de golpe, chamado “golpe do cartão clonado” tem ocorrido com frequência este ano em Passo Fundo. “Os autores, na maioria são oriundos de São Paulo, que inclusive dois já haviam sido presos nos primeiros meses do ano, com apreensão de cartões de crédito e máquina de cartão”, disse ele.

Os criminosos tem acesso a lista dos bancos, com número de cartão, nome e telefone dos clientes. Assim, um integrante do grupo criminoso liga de São Paulo falando que o cartão da vítima foi clonado e pede que a vítima entregue para um terceiro (as vezes motoboy de boa-fé) o cartão com a senha e outros dados, para que seja destruído. Tendo em mãos o cartão e senha, os criminosos passam em máquinas de cartão diversas compras em diversos valores até extrair todo o limite do cartão.

As três pessoas presas durante a noite de ontem fazem parte de uma associação criminosa dedicada a este tipo de crime, sendo que são os executores do esquema. Uma pessoa liga para a vítima, uma segunda pessoa que consegue os dados das vítimas, e ainda e uma terceira pessoa que administra os valores para repassar a outras contas após ser creditado os valores na contas da máquinas de cartão.

Os valores envolvidos neste golpe são grandes, em pesquisa nas máquinas para verificar dados básicos e identificação, o relatório de movimentação apontou mais de R$ 100 mil reais que os criminosos tiraram das vítimas somente em dois dias em Passo Fundo.

Gostou? Compartilhe