Prefeitos da região pedem mudanças em protocolos do Estado

Documento requerendo alterações ao modelo de Distanciamento Social foi encaminhado pela Ampla

Por
· 2 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Em reunião na tarde desta segunda-feira (08), os prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Planalto (Ampla) validaram o documento enviado pela entidade ao governador, Eduardo Leite, requerendo alterações no protocolo do Estado sobre o funcionamento de alguns setores econômicos, sobretudo os relacionados ao comércio.

Segundo o prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, é importante compreender a gravidade sanitária do momento enfrentado com a alta ocupação dos leitos hospitalares, sem deixar de lado a preocupação com a economia. "Tenho reforçado que saúde e economia precisam andar juntas. Por isso, ampliamos e fortalecemos as nossas ações em Saúde e estamos também focados em garantir que a economia continue em movimento", observou ele. 

No documento construído pela Ampla estão questões como a revisão do sistema de cogestão, com a possibilidade de retomada do modelo a partir do dia 15; a abertura de linhas de crédito especial para os empresários e empreendedores mais afetados pela pandemia e também a alteração no protocolo para o funcionamento do comércio não essencial através de agendamento de horário e limites de funcionários e público.

O presidente da Ampla e prefeito de Marau, Iura Kurtz, defendeu as medidas elencadas e reforçou que a Associação está permanente em contato com o Estado apresentando as reivindicações regionais para garantir não apenas as iniciativas em saúde, mas também para o fomento da economia.

 

Ações de fiscalização

Além dos prefeitos da Ampla, a reunião foi acompanhada pelo comandante do CRPO Planalto, Tenente coronel Volnei Ceolin, que destacou as principais ações de fiscalização feitas pela Brigada Militar, em parceria com as prefeituras. "A Brigada Militar tem estado junto dos prefeitos e das administrações municipais para que os decretos estaduais sejam seguidos visando a garantia da saúde", pontuou ele. 

Em Passo Fundo, desde março de 2020, mais de 12 mil atividades fiscalizatórias já foram realizadas pela Força-tarefa composta por fiscais da Prefeitura, Brigada Militar e Polícia Civil.

 

Atendimentos em saúde

 Os atendimentos hospitalares realizados aos pacientes dos municípios que integram a Ampla também foram tratados durante a reunião. O tema tem sido pauta das discussões entre as prefeituras, o Estado e os hospitais de Clínicas e São Vicente de Paulo. "Com o agravamento dos casos de Covid-19, nossos hospitais têm sido muito exigidos. Foram abertos novos leitos de UTI em ambas as instituições e contratados novos profissionais, mas a situação ainda é delicada. Agora é a hora de os municípios se mobilizarem para que possamos enfrentar este período", avaliou o vice-prefeito de Passo Fundo, João Pedro Nunes, que também acompanhou a atividade.

Os diretores administrativos e médicos dos hospitais fizeram um relato sobre a situação atual nas instituições com o crescimento das internações de pacientes de toda a região com casos de Covid-19. "Nós precisamos que os municípios nos ajudem financeiramente na manutenção dos hospitais, uma vez que os recursos recebidos do Ministério da Saúde são insuficientes para cobrir todas as demandas", comentou o diretor administrativo do Hospital de Clínicas, Luciney Bohrer.

Como encaminhamento para o assunto, a Ampla deliberou sobre a realização de um estudo entre os municípios para que seja definido um valor de participação que cada Prefeitura possa repassar como subsídio às instituições.

Gostou? Compartilhe