Colheita de pêssego tem boa produtividade

Em propriedade rural árvores chegam a render até 60 quilos de fruto de alta qualidade

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Ao longo dos últimos meses o Espaço da Terra mostrou diversas fases da safra de pêssego em Passo Fundo acompanhando o pomar de um produtor. Agora, em época de plena colheita, é possível conferir os resultados de todo o cuidado realizado durante os meses iniciais da safra. Embora tenha prejudicado algumas culturas, o clima foi favorável para a fruta. Na propriedade de Mércio Michel a média de produtividade por planta é superior a 15 quilos. Em árvores um pouco mais velhas, chega a 60 quilos por planta.

Nesta safra não houveram perdas significativas. Apenas alguns frutos que foram atingidos por uma chuva de granizo ficaram um pouco machucados, mas o descarte não chega a 1% da produção de acordo com o agricultor. Neste ano o período da colheita se estendeu para além do previsto. Enquanto o ciclo normal varia entre 17 e 19 dias, neste ano deve chegar aos 35 dias de colheita. O agricultor suspeita que as noites mais frias contribuíram para o prolongamento da colheita.

As frutas estavam apresentando um tamanho menor do que o esperado em função da falta de água. No entanto a chuva do dia 23 de novembro colaborou para que elas crescessem e alcançassem o padrão esperado.  A área cultivada com a fruta geralmente é irrigada, mas neste ano o produtor preferiu não utilizar a reserva de água da propriedade com a fruta. De acordo com ele, apesar de o açude estar cheio, o volume de água que tem chegado até o reservatório é baixo. A preocupação é com as outras culturas, como o feijão, por exemplo.

Raleio
O pomar de Michel passou por dois raleios durante o período de desenvolvimento. Na época da floração, cerca de 90% do total de flores foram retiradas das plantas escolhendo as que estavam em locais com maior probabilidade de desenvolverem frutos de qualidade. Posteriormente, quando os frutos já estavam se desenvolvendo, um novo raleio retirou quase 95% dos frutos. Todos os ramos passaram pelo processo com o objetivo de deixar na planta apenas aqueles em locais mais protegidos, espaçamento suficiente para o desenvolvimento e com menos chance de quebrar os ramos em que estavam presos. A produção é toda vendida na Feira do Produtor, no Parque da Gare.

Gostou? Compartilhe