Escolas infantis privadas pedem volta às aulas

Atos foram organizados pela Associação União pela Educação das Infâncias, que representa 36 escolas privadas de Passo Fundo

Por
· 1 min de leitura
Protestos foram realizados em frente às escolas (Foto: Bruna Scheifler/ON)Protestos foram realizados em frente às escolas (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Protestos foram realizados em frente às escolas (Foto: Bruna Scheifler/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

Algumas escolas particulares de educação infantil realizaram um protesto pelo retorno das aulas presenciais ontem (05). Vestidas de preto, as professoras foram para a frente das escolas com faixas e cadeiras vazias. “Nós estamos impedidas de poder atender as crianças e o objetivo da Educação Infantil é justamente o cuidado e a educação. Virtualmente não conseguimos atender essas funções da educação infantil”, explicou Marina Grando, vice-presidente da Unifan PF (Associação União pela Educação das Infâncias), que representa 36 escolas privadas de Passo Fundo. 

O momento é considerado, pela entidade, correto para a volta às aulas pois outras atividades já foram liberadas, como o comércio, e pela sanção da lei que considera o serviço das escolas essencial. “As famílias clamam por isso, pedem que a gente possa voltar a atender as crianças, porque onde ficam as crianças quando as mães e os pais saem de casa para trabalhar?”, questiona Marina.

(Foto: Bruna Scheifler/ON)

A Associação afirma que não houve contágios e nenhuma experiência ruim nos meses em que as aulas presenciais estavam permitidas. “Nos vemos preparadas para continuar o atendimento, nós temos a ciência de que a continuação seria benéfica para toda a comunidade e para as crianças”, afirma Marina. As escolas ainda pedem pela vacinação dos profissionais de educação, mas defendem que a volta das aulas não depende da vacina. “Nós retornamos, conseguimos manter o protocolo e sem ter sido vacinadas, então a nossa principal meta agora é o retorno”, explicou Marina.

Gostou? Compartilhe