Segue o trabalho integrado de buscas na sede da SSP

Dois bombeiros que combatiam o incêndio ocorrido na noite de quarta-feira (14), estão desaparecidos

Por
· 2 min de leitura
Divulgação/SSPDivulgação/SSP
Divulgação/SSP
Você prefere ouvir essa matéria?

O vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, visitou a área do prédio-sede da SSP para acompanhar a evolução do trabalho do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) no arrefecimento da área, após o incêndio, e buscas dos dois bombeiros desaparecidos.

O Corpo de Bombeiros informou que as guarnições da corporação seguem atuando no rescaldo e nas buscas pelos dois bombeiros militares desaparecidos. Entre 50 e 60 bombeiros militares e 4 cães de busca e salvamento estão trabalhando no local, distribuídos em nove equipes, para possibilitar o trabalho em tempo integral.

As equipes são divididas em quatro núcleos de ação. Uma das equipes trabalha no combate ao incêndio, pois ainda existem áreas muito quentes, que necessitam de rescaldo. A equipe de resgate e salvamento está atua na busca dos bombeiros desaparecidos nas áreas superficiais.

Além disso, outros dois núcleos atuam incisivamente para o resgate dos colegas da corporação. A equipe de busca e resgate em estruturas colapsadas, que faz a busca por dentro, das vigas e lages onde podem se formar bolsões vitais (grandes blocos de escombros que ficam encaixados formando espaços). Por fim, a operação de busca e resgate com cães, onde os binômios (servidor do CBM com seu cão treinado) atuam na varredura do espaço tentando identificar a localização dos colegas.

Na equipe de binômios estão bombeiros e cães extremamente treinados para a atuação de resgate. O 2° Sargento Alex Sandro Teixeira Brum e o cão Guapo atuaram em Brumadinho, na busca por vítimas do trágico rompimento de uma barragem.

A Força de Resposta Rápida (FR²) do CBMRS foi acionada para apoio nas buscas. São 8 militares dos 2º e 8º Batalhões de Bombeiros Militares (BBM), de São Leopoldo e Canoas, respectivamente, que já estão atuando junto às guarnições de Porto Alegre.

Além das equipes já destacadas para a operação, estão de sobreaviso as células de FR² do 5º e 6º BBM, caso seja necessário o revezamento. A FR² é composta por integrantes do efetivo orgânico dos batalhões, aptos para atuação em missões de busca, salvamento e resgate urbano e rural, podendo ser acionada em qualquer momento.

O vice-governador elogiou o empenho dos órgãos envolvidos para atender as necessidades do local. "É importante salientar a parceria e a integração com outros órgãos, destaco aqui a Prefeitura de Porto Alegre e agora o Exército Brasileiro que está nos auxiliando e está montando barracas para dar conforto para o descanso dos colegas na troca de turnos e garantindo o trabalho ininterrupto no local. Também temos o apoio da Brigada Militar, na guarda externa e no empréstimo de um ônibus refeitório", afirmou.

O comandante do 1º BBM e coordenador da operação nas instalações da SSP, tenente-coronel Eduardo Estevam Rodrigues, enfatizou que as buscas não serão encerradas enquanto os bombeiros desaparecidos não sejam localizados. "O Corpo de Bombeiros Militar não deixa ninguém pra trás. Sejam civis, sejam os nossos militares. Estaremos 24 horas aqui atuando nas atividades necessárias", completou.

Gostou? Compartilhe