Lideranças políticas questionam valor do pedágio entre Passo Fundo e Marau

Mobilização regional busca reduzir tarifas e defende livre acesso em deslocamentos diários

Por
· 2 min de leitura
O pedágio deverá ser construído na ERS-324 (Foto: Arquivo/DAER)O pedágio deverá ser construído na ERS-324 (Foto: Arquivo/DAER)
O pedágio deverá ser construído na ERS-324 (Foto: Arquivo/DAER)
Você prefere ouvir essa matéria?

Lideranças políticas iniciaram uma mobilização para questionar o valor proposto para as tarifas do pedágio que deverá ser construído na ERS-324, entre Passo Fundo e Marau, segundo o modelo de concessão de três blocos de rodovias gaúchas apresentado pelo Governo do Estado. Na quarta-feira (18), as audiências públicas serão retomadas para debater alguns pontos da licitação nos sete pontos de estradas da região.  

No centro da polêmica, além da instalação de três praças de cobrança que deverão impactar na circulação de 17,5% da comunidade regional, os valores de R$ 7 a R$ 9 reais que poderiam ser fixados para trafegar na rodovia são criticados por autoridades políticas, entidades e pelos próprios moradores. “Licitação é concorrência livre. Não tem como estipular um valor mínimo e máximo”, defendeu o vereador Leandro Rosso (REPUBLICANOS). O parlamentar passo-fundense é autor da Comissão Especial de Acompanhamento da Instalação do Pedágio da ERS-324, aprovada na semana passada no plenário da Câmara de Vereadores do município.  

A preocupação, destaca o texto apresentado por Rosso, também aponta a não isenção para moradores próximos aos trechos do pedágio, considerando que o levantamento feito pelo governo gaúcho prevê apenas descontos para usuários frequentes de todas as praças com cobrança de tarifa. Segundo a proposta que está sendo discutida entre os municípios da região, um pedido de livre acesso aos munícipes de Passo Fundo e Marau que utilizam a rota diariamente para trabalho ou estudo deve ser levado à mesa de discussão. “Queremos ouvir as entidades locais para ver se são favoráveis ou contrárias. Se implementados, defendemos que esses valores sejam investidos em Passo Fundo em melhorias nos trevos e acessos e que essa duplicação comece pela nossa cidade e não por Vila Maria”, argumentou Rosso.  

Através da Comissão, explicou o vereador, os parlamentares passo-fundenses acompanharão as tramitações para a instalação do pedágio de modo a “minimizar os impactos financeiros” aos usuários. “É importante destacar que a iniciativa se faz necessária, tendo em vista a grande expectativa por parte da comunidade de Passo Fundo e região diante do tão esperado anúncio de melhorias e duplicação da ERS-324, já que as más condições de trafegabilidade da rodovia são um problema histórico, que coloca em risco, diariamente, a vida de centenas de pessoas que trafegam pelo local”, destaca o projeto de resolução.  

Audiência pública  

Em acordo com o chefe da Casa Civil, Artur Lemos, serão realizadas três audiências públicas virtuais da Assembleia, com a participação do governo para ouvir a população. As audiências propostas pelas Comissões de Segurança e Serviços Públicos e Assuntos Municipais para debater os blocos 1, 2 e 3 do programa de concessão iniciaram na segunda-feira (16) e terão continuidade nos dias 18 e 19 de agosto, às 18h30min, com transmissão da TV Assembleia e nas redes sociais. 


Gostou? Compartilhe