Mascote Leãozinho, que busca estimular a destinação do Imposto de Renda ao Fumdica, é apresentado

Iniciativa tem como objetivo ampliar os valores encaminhados ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente

Por
· 2 min de leitura
A apresentação do mascote foi realizada na ONG Amor (Foto: Diogo Zanatta/Divulgação PMPF)A apresentação do mascote foi realizada na ONG Amor (Foto: Diogo Zanatta/Divulgação PMPF)
A apresentação do mascote foi realizada na ONG Amor (Foto: Diogo Zanatta/Divulgação PMPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

Na declaração do Imposto de Renda, o cidadão pode dedicar valores ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMDICA). Nesta sexta-feira (6), a Prefeitura de Passo Fundo apresentou o novo mascote da campanha: o Leãozinho. O objetivo é engajar pessoas físicas e jurídicas a destinarem parte do seu imposto devido à causa.

Neste ano, a comunidade viabilizou R$ 1,2 milhão e ajudou 17 entidades socioassistenciais de Passo Fundo. Apesar do valor arrecadado, a cidade destina apenas 10% da sua capacidade ao FUMDICA. “A nossa capacidade é de R$ 12 milhões e estamos arrecadando R$ 1,2 milhão. Precisamos que o passo-fundense seja solidário e que deixe aqui o seu dinheiro para ser aplicado com nossas crianças e adolescentes”, ponderou a presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (COMDICA), Salete de Souza.

A apresentação foi realizada na ONG Amor, uma das entidades beneficiadas. Ela atende crianças do entorno do Bairro Victor Issler. “Como a pessoa já tem que pagar, basta apenas fazer a indicação. Não conseguimos fazer nada sem recursos e precisamos conscientizar que, com pequenas ações individuais, é possível ajudar muitas vidas”, disse o presidente, Milton Menezes.

“As oficinas e atividades que se estruturam a partir destas contribuições são essenciais para fomentar a inclusão social de crianças e adolescentes”, disse o prefeito Pedro Almeida.

Também participaram da apresentação oficial do Leãozinho o vice-prefeito, João Pedro Nunes, e a vice-presidente da Câmara, vereadora Janaína Portella.

Repasses em 2021

O valor arrecadado pela dedução do Imposto de Renda de 2020 gerou repasses de R$ 55 mil e R$ 75 mil às entidades. De acordo com o secretário de Cidadania e Assistência Social, Saul Spinelli, elas tiveram projetos aprovados a partir de critérios técnicos definidos em edital pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA), validados pela Comissão de Licitações e Contratos (CLC) da Prefeitura. “As entidades beneficiadas atendem às crianças e adolescentes em programas sociais e educativos em diversas regiões da cidade”, explicou o secretário, comentando que, ao todo, mais de mil crianças serão afetadas pelas oficinas e programas promovidos a partir do recebimento destes valores.

Entre as 17 entidades que receberam recursos em 2021, está a Associação Passo-fundense de Cegos (Apace). “Os recursos são fundamentais para que possamos desenvolver o trabalho com o nosso público, formado por pessoas cegas e com baixa visão, desde crianças de colo até adolescentes. Atuamos para que sejam sujeitos de si próprios”, relatou o presidente, Fábio Flores.

Entidades contempladas

  • Sociedade de Auxílio e à Infância – SAMI
  • Assistência Social Arquidiocesana Leão XIII
  • Fundação Beneficente Lucas Araújo
  • Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE
  • Lar Emiliano Lopes
  • Associação Educativa Agostini – AEA
  • Congregação Missionária Redentorista
  • Associação de Pais e Amigos dos Surdos – APAS
  • Associação das Entidades do Projeto Transformação
  • Agentes do Amor Divino
  • Associação Passo-fundense de Cegos
  • Sociedade Cultural, Recreativa e Beneficente São João Bosco
  • Escola de Educação Infantil Lar Ivone Terezinha Dall`Igna
  • Esporte Clube Vila Nova
  • Associação de Desenvolvimento Social do Norte do RS
  • Associação Olympika de Artes Marciais
  • Fundação Santo Claudino Verzeletti
Gostou? Compartilhe