As pandemias através da arte

Curso de Artes Visuais da UPF desenvolve projeto divulgando expressões artísticas produzidas durante pandemias e epidemias vivenciadas pelo mundo

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O mundo vem enfrentando a pandemia da Covid-19, contudo, diversas outras pandemias e epidemias já assolaram a humanidade ao longo de sua história. Com isso, muitos artistas retrataram o sofrimento e também foram vítimas dessas enfermidades. A Agência de Artes Visuais, projeto de extensão da Universidade de Passo Fundo (UPF), tem como um dos seus objetivos a promoção e organização de exposições e intervenções culturais e educativas em diferentes territórios.

De acordo com a coordenadora do curso de Licenciatura em Artes Visuais, Me. Ivana Rocha Tisott, o projeto aborda temáticas transversais priorizadas nas Políticas de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade, como direitos humanos, questões étnico-raciais, religiosas, culturais, territoriais, físico-individuais, de gênero, de orientação sexual e questões que envolvem a sustentabilidade socioambiental, desenvolvendo ações e fortalecendo a interlocução entre ensino, pesquisa e extensão. “Uma das grandes características da Agência são as intervenções e exposições que fazemos UPF afora. No entanto, o momento delicado exigiu que adaptássemos nossas atividades de modo que continuássemos a dialogar com a comunidade, levando conhecimento artístico e histórico. Assim, por meio da página de Artes no Facebook e no Instagram, surgiu a pauta para publicações, chamada de ‘As Pandemias Através da Arte’”, explicou a professora.


“As Pandemias Através da Arte” são postagens informativas sobre pandemias e epidemias que o mundo já vivenciou e que foram retratadas por meio de expressões artísticas, como a pintura e a gravura. “Nessas publicações, contextualizamos a obra com a epidemia em questão, de forma que o público se sinta informado e conheça novas obras artísticas de diferentes períodos. Além disso, é uma forma sútil de levar esperança, mostrando que o mundo já passou por crises como a que estamos vivendo por conta da Covid-19”, explicou a estudante extensionista, Paola Carolina Dalbosco.

As postagens são realizadas por bolsistas, respeitando um cronograma previamente estabelecido. “A extensão é uma parte muito importante dentro da Universidade, já que é por meio dela que a comunidade conhece e se envolve de maneira mais profunda os cursos e suas áreas. A arte sempre foi um alicerce, um meio de sobreviver grandes impactos emocionais”, finalizou a professora.

Gostou? Compartilhe