OPINIÃO

Teclando - 15/07/2020

Pedreiras da ignorância

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Pedreiras da ignorância

Além de mal-educadas, muitas pessoas ainda têm a péssima conduta de tirar proveito nas mais inusitadas circunstâncias. É bem isso o que ocorre no centro de Passo Fundo, durante as obras na Avenida Brasil. Sábado, mal liberaram o piso concretado para os ônibus, na quadra do Banco do Brasil, e os pseudomalandros apareceram. Os automóveis tomaram conta de mais da metade da área. Sim, oito veículos estacionaram e tiraram o espaço destinado aos ônibus que, assim, permaneciam em fila de espera para conseguir chegar à parada. É bom lembrar que havia, sim, placas indicando estacionamento proibido. No sentido contrário, então, ninguém respeita mais nada e estacionar em fila dupla até parece obrigatoriedade. Se houver materiais depositados junto ao meio fio, também estacionam e ocupam uma boa lasca da pista. E, aproveitando o embalo, a faixa para pedestres virou estacionamento privativo. Mas a falta de civilidade não é privilégio apenas dos motoristas. Também fica explícito o egoísmo de alguns que empurram os contêineres do lixo para longe de suas lojas. Então, em meio às pedras de uma grande obra, não faltam as pedreiras da ignorância. As pessoas não têm paciência, compreensão e nem um mínimo de bom senso diante do cenário de uma obra pública, um bem coletivo. O primeiro gesto apropriado, ainda mais numa pandemia, é não transitar pela avenida. E, quando necessário, estacionar bem longe. Bom para todos. Até mesmo para as pedras.

O vírus do futebol

Nesta pandemia, vivemos um período inusitado que exige muita cautela. Direta ou indiretamente, todas as áreas são atingidas. Uma delas é o futebol. Sinto pelos atletas e profissionais sem salários, especialmente na miséria do futebol interiorano. Mas também observo que, criminosamente, estão forçando a barra pela volta do futebol. Isso parece doença, especialmente por parte de alguns coleguinhas que até comemoraram o anúncio do reinício do Campeonato Gaúcho. Mesmo sem público, o retorno do futebol representa riscos. Vejam quantos jogadores já testaram positivo. Mas, é claro, há interesses publicitários e de detentores de direitos de transmissão. Por isso pressionam. Porém, a liberação do futebol também é um acinte aos negócios paralisados pelas bandeiras sanitárias. No mínimo, é um risco desnecessário.

Dia Mundial do Rock

O Dia Mundial do Rock é 13 de junho. Neste pandêmico ano de 2020, caiu em plena segunda-feira. Mas nem mesmo a quarentena abafou as estridentes guitarras do principal gênero musical contemporâneo. Em Passo Fundo a arte superou obstáculos e soltou o grito com Los Marias. A carismática galera invadiu o Batatas para uma live comemorativa. Casa fechada, obviamente, e sequer pensaram em pisar no Menor Palco do Mundo. Mais distantes do que cordas de contrabaixo, Milton, Ihago, Sérgio e Elieser se espalharam pela casa. E mandaram muito rock. É a arte dando a volta por cima do vírus.

Figuraça

Nosso querido Toninho do Boka virou figurinha do WhatsApp. Nos últimos dias, circula uma foto dele com a expressão ‘vou fala pro Edu’. E já pegou, pois está correndo pelos grupos. Então, agora, o Toninho também é figurinha. Até porque figuraça ele sempre foi.

A preta é logo ali

É impressionante o que tem de gente sem máscara pela cidade. E nas ruas o movimento até parece de final de ano. Entonces...

Ué?

Interromperam as babaquices dominicais? Será que terminou o repertório?

Trilha sonora

O rock continua rolando. Então vamos rodando Los Marias –Não Vá


Gostou? Compartilhe